Quão seguro é fazer pagamentos com um cartão contactless?

Muitas questões se levantam relativamente à segurança de um cartão contactless por não ser necessário colocar o PIN para fazer pagamentos de compras ou serviços até um determinado montante. Descubra aqui quão seguro é este método de pagamento.

Desde 2013 que muitos cartões de crédito em Portugal passaram a ter a tecnologia contactless incorporada. Porém, muitas questões se levantam relativamente à segurança de um cartão contactless por não ser necessário colocar o PIN para fazer pagamentos de compras ou serviços até um determinado montante. Descubra quão seguro é este método de pagamento.

Em que consiste um cartão contactless?

Um cartão contactless – que tanto pode ser de débito como de crédito ou até mesmo pré-pago – é um produto que permite ao consumidor efetuar pagamentos até determinado montante sem introdução do código PIN, aproximando-se o cartão a alguns centímetros do Terminal de Pagamento Automático (TPA).

Todos os cartões que possuem a tecnologia contactless (de leitura por proximidade) podem ser igualmente utilizados com a tradicional inserção do PIN.

Pela facilidade e rapidez com que é possível fazer pequenos pagamentos com este método (uma operação realizada desta forma demora cerca de 5 segundos), um cartão contactless torna-se muito cómodo, para além de que evita que se tenha de dar o cartão a quem tem o TPA.

É de referir que existem alguns smartphones que também já possuem a tecnologia contactless incorporada.

Se tem um cartão contactless e deseja começar a fazer pagamentos desta forma, para ativar esta funcionalidade basta realizar um primeiro pagamento num TPA.

Como identificar os cartões que têm esta opção?

Provavelmente até já possui um cartão com esta funcionalidade e nem se apercebeu. Para identificar esta função, basta verificar se no canto superior direito do seu cartão se encontra o seguinte símbolo:

Cartão-contactless

Como fazer pagamentos com um cartão contactless?

Imagine que tem um cartão contactless e que se encontra num restaurante ou noutro estabelecimento comercial e deseja pagar a conta com multibanco. Para tal, basta encostar o cartão contactless ao terminal de pagamento automático (ficando apenas a alguns centímetros de distância) e, sem necessidade de introduzir o código PIN (como seria habitual), o pagamento fica feito.

Porém, esta forma de pagamento não pode ser usada para quaisquer montantes, existindo um limite que é estabelecido por cada banco individualmente e que normalmente ronda os 20 euros.

Além disso, existe ainda outra limitação: para além do valor máximo definido para cada compra, também existe um limite relativamente ao número de pagamentos que é possível efetuar com este método. Por exemplo: assim que atingir 60 euros em pagamentos com tecnologia contactless, na transação seguinte é provável que lhe seja solicitada a inserção do PIN.

Pode existir duplicação de pagamentos se se deixar o cartão encostado ao TPA durante muito tempo?

Não, porque os leitores de cartão contactless só permitem realizar um pagamento de cada vez, que terá de ser anulado ou confirmado antes de se poder realizar uma nova transação.

Segurança é uma prioridade. Como garanti-la?

Desde logo, e conforme referido pelo Banco de Portugal na altura em que a tecnologia contactless foi lançada, mesmo respeitando o valor máximo definido para pagamentos através deste método, pode ser-lhe requerida a introdução do PIN numa compra aleatória como medida de segurança.

Note que existem algumas apps que permitem ler os dados de um cartão contactless e, consequentemente, descobrir informações sobre o portador do cartão e os movimentos que este efetuou com o mesmo. Isto é algo que pode ser perigoso se, por exemplo, estiver num local com multidões ou com uma grande concentração de pessoas (num festival de música ou num transporte público, por exemplo).

Para evitar o caso acima descrito, vale a pena investir numa capa de alumínio para colocar à volta do cartão. Note também que, para que se conseguisse usar uma aplicação que pudesse ler os seus dados, é preciso que o cartão esteja, de facto, muito perto do telemóvel.

Em todo o caso, estar atento nunca é demais. Se notar alguma atividade fora do normal com o seu cartão contactless (como, por exemplo, uma utilização abusiva), deve ligar para o seu banco e, se necessário, pedir para que o cartão seja cancelado. Sabia que, a partir do momento em que avisa a instituição financeira, qualquer utilização abusiva do seu cartão deixa de ser da sua responsabilidade?

Ademais, cabe ainda salientar que existem seguros para prevenir a utilização fraudulenta dos cartões e alguns cartões de crédito até já vêm com esta proteção incorporada – averigue se não é o caso do seu.

Por outro lado, este tipo de cartões tem segurança acrescida pelo facto de o cliente estar, na realidade, a fazer pagamentos sem precisar de inserir o PIN em público e sem que o cartão saia da sua mão.

De qualquer das formas, se não desejar ter esta funcionalidade no seu cartão, pode sempre solicitar ao seu banco para desativá-la.

Ler mais
Recomendadas

CGD aumenta hoje comissões e cobra transferências no MB Way mas com isenções

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) começa hoje a cobrar mais pela manutenção de algumas contas e por transferências na aplicação MB Way, deixando, no entanto, algumas isenções nos aumentos.

Santander abre Work Café em Espinho

O Work café uma inovação em termos de agências bancárias, uma vez que junta no mesmo espaço um balcão de um banco e uma cafetaria.

Luanda Leaks: Autoridade Bancária Europeia já contactou “entidades competentes”

“Temos conhecimento desta situação, que acompanhamos há algum tempo”, afirma a instituição europeia de supervisão numa curta resposta escrita enviada hoje à agência Lusa.
Comentários