Quatro sindicatos do setor financeiro juntam-se para criar o “Mais Sindicato”

De acordo com os estatutos, serão agendadas, num prazo de seis meses, eleições para os órgãos diretivos da futura estrutura sindical – Mais Sindicato.

Cristina Bernardo

O maior sindicato nacional, que reúne mais de 50 mil associados, vai surgir no setor financeiro com a unificação dos sindicatos dos Bancários do Sul e Ilhas (SBSI), do Centro (SBC), Seguros de Portugal (SISEP) e dos Trabalhadores da Atividade Seguradora (STAS).

O “Mais Sindicato”, viu agora publicada no Boletim do Trabalho e Emprego a alteração estatutária que dá início à operacionalização da programação da fusão dos Sindicatos do Setor Financeiro que vai juntar as quatro instituições, isto depois da aprovação da alteração dos estatutos no XX Congresso Extraordinário do SBSI em outubro passado.

De acordo com os estatutos, serão agendadas, num prazo de seis meses, eleições para os órgãos diretivos da futura estrutura sindical – Mais Sindicato – que “congregará os Sindicatos empenhados neste processo, o que significa que, em termos meramente indicativos, as eleições terão de realizar-se, no limite, até ao início de outubro”, revela o sindicato dos bancários do sul e ilhas (SBSI) em comunicado.

“Até lá, o SBSI irá cumprir todos os procedimentos legais e de divulgação e esclarecimento do futuro “Mais Sindicato”, de forma a que a votação seja a mais consciente no contexto do sindicalismo democrático”, conclui a mesma nota.

Recomendadas

PremiumVenda do BNI Europa aguarda fecho das contas de 2019

Negócio deverá ficar fechado no primeiro trimestre de 2020. O banco apesenta contas anuais em março.

PremiumBCP quer reduzir malparado para 3 mil milhões em 2021

O BCP lucrou 302 milhões em 2019, à custa de mais-valias em dívida portuguesa. A redução do 1,3 mil milhões de NPE foi a boa notícia.

Banco de Portugal quer rever regras sobre governo e controlo interno de bancos

O supervisor vai rever as regras de governo e sistemas de controlo interno nos bancos, incluindo práticas remuneratórias, tendo até 23 de março em consulta pública dois projetos regulamentares.
Comentários