Quebra nas vendas a retalho e ‘livro bege’ penalizam Wall Street

O Livro Bege publicado pela Reserva Federal esta quarta-feira alertou para o arrefecimento do crescimento da economia por causa da guerra comercial. O documento revelou que a economia norte-americana cresceu a um ritmo “leve” e “modesto” nas últimas semanas.

Traders work on the floor of the New York Stock Exchange (NYSE) shortly after the opening bell in New York, U.S., January 5, 2017. REUTERS/Lucas Jackson

Os três principais índices da bolsa de Nova Iorque encerraram a terceira sessão desta semana com perdas, não tendo assim invertido a tendência negativa que se fez sentir desde a abertura dos mercados esta quarta-feira.

Os fracos dados económicos sobre as vendas a retalho em setembro nos EUA e as dúvidas em torno de um acordo comercial com a China penalizaram o sentimento do mercado e diminuíram o impacto positivo que, de outra forma, os resultados trimestrais do setor bancário norte-americano poderiam ter.

O S&P 500 caiu 0,19%, para 2.990,10 pontos; o tecnológico Nasdaq perdeu 0,29%, para 7.920,21 pontos; e o industrial Dow Jones cedeu 0,08%, para 27.003,61 pontos.

Em setembro, as vendas a retalho caíram 0,3% em cadeia e foi a primeira queda deste indicador desde fevereiro. Apesar disso, o consumo norte-americano, que representa mais de dois terços do PIB, manteve-se forte. No entanto, há analistas que estimam que o nível elevado do consumo nos EUA se deve a uma antecipação de compras motivada pela imposição de mais tarifas num futuro próximo.

Depois de o FMI ter revisto em baixa as projeções económicas para 2019 devido aos impactos negativo da guerra comercial, a diretora executiva do Centro de Comércio Internacional das Nações Unidas, Arancha González, antecipou uma recessão global no caso de os EUA e a União Europeia também entrarem numa ‘guerra de tarifas’.

Ainda na frente macroeconómica, o Livro Bege (Beige Book) publicado pela Reserva Federal esta quarta-feira – um documento que avalia a economia detalhada pelos doze bancos centrais regionais norte-americanos com informação compilada antes do dia 7 de outubro – alertou para o arrefecimento do crescimento da economia por causa da guerra comercial.

O documento revelou que a economia norte-americana cresceu a um ritmo “leve” e “modesto” nas últimas semanas.

Nas matérias-primas, o preço do petróleo está a subir. Em Londres, o barril de Brent está a negociar nos 59,35 dólares, depois de ganhar 1,04%. Nos EUA, o West Texas Intermedia avança 0,95% para 53,31 dólares.

Ler mais

Recomendadas

Trump corta laço com a OMS mas não sobe tarifas à China e Wall Street fecha mista

Os Estados Unidos vão aumentar o escrutínio das empresas chinesas cotadas em Nova Iorque, algo que a Tencent se prepara para fazer já na próxima semana. “As empresas de investimento não devem sujeitar os clientes aos riscos escondidos e impróprios associados ao financiamento de empresas chinesas que não seguem as mesmas regras”, disse esta sexta-feira Donald Trump.

Bolsas europeias acabam semana com perdas. Papeleiras abalam PSI-20

Já EDP Renováveis subiu 1,71%, para 11,92 euros, um dia depois de ter informado que assegurou um contrato de 20 anos num leilão de energia eólica em Itália.

Wall Street abre mista à espera da conferência de imprensa de Donald Trump

A pressão vendedora começou a sentir-se logo ontem à noite, quando o presidente norte-americano informou que iria falar aos jornalistas sobre a China. “O governo dos Estados Unidos está… Vou usar a palavra furioso com o que a China fez nos últimos dias, semanas e meses”, disse esta sexta-feira o assessor económico da Casa Branca.
Comentários