Quem é Vera Daves, a primeira mulher a liderar as Finanças de Angola?

Já substituiu Archer Mangueira na Comissão de Mercados e Capitais e agora foi nomeada para o cargo de ministra das Finanças de Angola.

A primeira mulher a ocupar o cargo de ministra das Finanças em Angola, Vera Daves, é descrita como “muito disciplinada, técnica bem preparada e competente”. No último congresso extraordinário do MPLA passou a integrar o Bureau Político do partido no Poder.

Vera Daves já substituiu, anteriormente, Archer Mangueira na Comissão de Mercados e Capitais e após as eleições de 2017 foi nomeada secretária de Estado e agora foi nomeada ao cargo de ministra das Finanças angolana, substituindo-o, após decreto presidencial emitido a 8 de outubro, pela Casa Civil.

De seu nome completo Vera Esperança dos Santos Daves de Sousa, a nova ministra nasceu em Luanda e é licenciatura em Economia pela Universidade Católica de Angola (UCAN). Tem ainda várias formações na área de finanças, gestão e liderança.

Na sua experiência profissional contabiliza passagens, de setembro de 2016 a outubro de 2017, como presidente da Comissão de Mercado de Capitais. Antes, de 2014 – 2016, foi a administradora Executiva da Comissão de Mercado de Capitais.

A governante foi técnica de Finanças na Sonangol ESSA, directora do Gabinete de Produtos e Research do Banco Privado Atlântico e docente da cadeira de Mercados Financeiros no MBA Executivo promovido pela Católica Business School Alliance, assim como professora de Finanças Públicas e Integração Económica na Faculdade de Economia da UCAN.

Vera Daves ganhou visibilidade como comentadora económica em diversos órgãos de comunicação social, com destaque para a TPA (Programa Bom Dia Angola), Rádio Mais e Revista Rumo. É ainda co-autora de um livro sobre Finanças Públicas.

Por Edjaíl dos Santos

Ler mais
Recomendadas

Carga fiscal de 2019 revista em baixa para 34,7% e mantém-se a mais alta de sempre

O Instituto Nacional de Estatística (INE) reviu hoje em baixa em uma décima a carga fiscal de 2019, para 34,7%, um valor igual ao de 2018 e o mais elevado de sempre.

Iniciativa Liberal desafia Governo a divulgar dados do IRS de 2018

Para o deputado João Cotrim de Figueiredo, é fundamental “para se poderem fazer cálculos e cenários da receita fiscal, essenciais na preparação de um novo orçamento e na análise de medidas fiscais em concreto”.

“Há pessoas que, por vergonha, prolongam situações insustentáveis”, revela autor de livro sobre finanças pessoais

Em 150 páginas, o autor explica como os portugueses podem ter controlo das suas finanças, ajudando os cidadãos a controlar os gastos numa altura em que se avizinha uma grave crise causada pela pandemia.
Comentários