“Quero que os doutorados tragam mais qualidade para a gestão”

O ministro Santos Silva lançou um repto aos graduados a viver no estrangeiro: coloquem o vosso ‘know-how’ ao serviço do desenvolvimento do país.

“É extremamente importante os graduados terem oportunidade de contribuir para o desenvolvimento sustentável do país”. A afirmação de Márcia Costa, da organização do Fórum de Graduados Portugueses no Estrangeiro, como que sintetiza o sentimento geral dos participantes da oitava edição do GraPE, que juntou em dezembro dezenas de portugueses vindos da Europa e da América, no Departamento de Matemática da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

Se o desenvolvimento passa por uma maior ligação entre o conhecimento académico e científico e a indústria, importa estabelecer pontes entre estes graduados, unidos, à partida, no seu amor a Portugal e com qualificações muito boas na ciência e na indústria.

O mote do GraPE2019 – “Ciência e Indústria como Parceiros no Desenvolvimento de Portugal: Oportunidades e Investimento” – serviu a Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, para destacar Portugal no mundo. “É importante valorizarmos a posição dos portugueses que estão lá fora. São jovens que estão a fazer o doutoramento ou são investigadores já doutorados em instituições científicas que podem contribuir sempre para valorizar Portugal nos seus locais, mas também para trazerem ideias”.

Noutro âmbito, Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, traçou um retrato a preto e branco das empresas portuguesas e apontou soluções. “Descapitalização” e “fraquíssima qualidade da sua gestão” são os principais problemas. E não se ficou por aqui. “O panorama português é de escassez de mão de obra qualificada e não um panorama de abundância de mão de obra qualificada sem saídas profissionais”.

O que se pode ser feito para inverter o atual estado de coisas? Augusto Santos Silva sugeriu dois caminhos: “mudar o tecido industrial” e a importância “dos doutorados trazerem mais qualidade para a gestão”.

 

Protocolo de colaboração

O fórum GraPE tem periodicidade anual, sendo organizado por associações de graduados portugueses que trabalham em países da Europa e nos Estados Unidos. A saber: Associação de Diplomados Portugueses em França (AGRAfr), Portuguese American Postgraduate Society (PAPS), Portuguese Association of Researchers and Students in the United Kingdom (PARSUK), Associação Portuguesa de Estudantes, Investigadores e Graduados na Bélgica, Holanda e Luxemburgo (APEI BENELUX) e Associação de Pós-Graduados Portugueses na Alemanha (ASPPA). Esta importante rede visa também estabelecer novos contatos em três domínios: progressão das carreiras profissionais e académicas, dentro e fora de Portugal; mobilidade de portugueses qualificados de e para Portugal; e análise da sociedade portuguesa.

Em Coimbra foi assinado um protocolo de colaboração entre a Fundação para a Ciência e Tecnologia e três das associações presentes: PAPS, ASPPA e AGRAfr, à semelhança do que já acontece com a PARSUK. Objetivo? Contribuir para o financiamento e profissionalização das associações e, ao mesmo tempo, reforçar o papel deste fórum na articulação entre a nata dos graduados portugueses no estrangeiro e a aplicação do seu know-how ao serviço do país.

Ler mais
Recomendadas

PremiumEstudante da UA integra liderança de organização mundial

Carlos Pinto foca a sua investigação na tecnologia de alta pressão, que permite a pasteurização de alimentos a frio.

Estudantes da U.Porto experimentam primeiro contacto com mundo da investigação

Após três dias de trabalho intenso, termina esta sexta-feira o ‘Congresso’ de estudantes da U.Porto, que mobilizou 487 trabalhos de investigação.

Meia centena de empresas recrutam esta quarta-feirar na Iscte Business School

As maiores empresas a operar em Portugal estão hoje e amanhã na escola de negócios do ISCTE em Lisboa em busca de talento.
Comentários