Raríssimas: Ex-presidente só sai com “indemnização e subsídio de desemprego”

Paula Brito e Costa mantém-se à frente da unidade de cuidados da Casa dos Marcos e recusa-se a sair a menos que seja despedida com “o pagamento da respetiva indemnização e subsídio de desemprego”.

Apesar de ter formalizado esta quinta-feira a sua demissão como presidente da associação Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se na direção da Casa dos Marcos, um projeto de assistência a pacientes que se localiza na Moita, tal como avança o Expresso.

De acordo com a edição online do jornal Expresso, Paula Brito e Costa pretende manter-se a trabalhar no projeto e só admite sair após despedimento e respetivo pagamento de indemnização e subsídio de desemprego.

“Se não me quiserem, então vamos ter de chegar a acordo”, referiu a ex-presidente da Raríssimas ao Expresso. E esse “despedimento” implica “o pagamento da respetiva indemnização e o subsídio de desemprego”, afirmou ao Expresso.

Relacionadas

Raríssimas: Ex-presidente mantém acesso às contas e cartão de crédito

Ex-presidente da Raríssimas continua a trabalhar na associação, apresentado-se agora como diretora-geral, de acordo com informação avançada pela SIC Notícias.

Raríssimas: Ex-presidente continua na associação, agora como diretora-geral

A SIC avança que Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na Raríssimas e identifica-se como diretora-geral.

Raríssimas: Paula Brito e Costa já apresentou demissão

A associação vai realizar a uma nova assembleia geral “nos primeiros dias de janeiro” para designar os novos membros.
Recomendadas

Fecho das escolas e universidades. António Costa fala ao país a partir das 13 horas

O primeiro-ministro vai dirigir-se aos portugueses a partir das 13 horas. Fonte do executivo disse à Lusa que o Governo vai encerrar escolas e universidades a partir de sexta-feira.

Costa diz que Conselho de Ministros prepara-se para tomar medidas hoje perante “alarmante propagação da pandemia”

Depois de Portugal ter atingido o pior dia da pandemia desde o seu início há 10 meses, o Governo reúne-se hoje. Fonte do executivo avançou que o Governo vai encerrar as escolas e universidades do país a partir de sexta-feira, segundo a agência Lusa.

Portugal continental afetado por passagem da depressão Hortense até sexta-feira

“A maior diferença em relação à depressão Gaetan será o aumento da agitação marítima no litoral a norte do Cabo Raso onde, a partir da madrugada de sexta-feira, as ondas serão de noroeste de 5 a 6 metros, podendo atingir 10 a 12 metros de altura máxima”, destaca o IPMA.
Comentários