Raul Galamba substitui Gomes Mota como presidente não executivo dos CTT

Raúl Galamba de Oliveira aceitou o convite que lhe foi endereçado por diversos acionistas dos CTT para assumir o cargo de presidente do Conselho de Administração depois da indisponibilidade para continuar manifestada por Gomes Mota.

Os CTT – Correios de Portugal anunciaram ao mercado que Raúl Galamba vai substituir António Gomes Mota como presidente do Conselho de Administração (não executivo).

Os CTT revelaram que houve a “manifestação de indisponibilidade do atual presidente do Conselho de Administração dos CTT, professor António Gomes Mota, para o exercício de funções num novo mandato a ter início em 2020″.

Na sequência dessa decisão o acionista Manuel Champalimaud [Gestmin], informou a sociedade que, “em conjunto com outros acionistas, endereçou um convite ao engenheiro Raúl Galamba de Oliveira, por este aceite”, lê-se num comunicado enviado à CMVM.

A Manuel Champalimaud SGPS é a maior acionista dos CTT, com mais de 13% do capital.

Raúl Galamba de Oliveira vem da Mckinsey, onde foi sócio sénior, no setor dos serviços financeiros.

“Foi managing partner dos escritórios de Portugal e de Espanha, responsável global da prática de gestão de risco e membro do Conselho de Administração Global”. Atualmente o gestor é “consultor e administrador de diversas empresas em Portugal e Espanha”

A lista de membros dos órgãos sociais vai ser submetida à próxima assembleia geral anual dos CTT.

Os correios têm como CEO João Bento. Já o banco dos CTT tem João Moreira rato como Chairman e Luís Pereira Coutinho como CEO.

Ler mais
Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Transportes Metropolitanos de Lisboa aprovado pelo Conselho Metropolitano

A Área Metropolitana de Lisboa detém a totalidade da empresa, que vai o património da empresa OTLIS – Operadores de Transportes da Região de Lisboa.
Comentários