‘Rebranding’ ao fim de 293 anos. Royal Bank of Scotland muda de nome

Alison Rose afirmou que este é o momento certo para fazer uma mudança e alterar o nome do RBS, que já data 293 anos. No entanto, as agências bancárias, como o Ulster Bank, na Irlanda do Norte, do RBS vão manter o nome.

O Royal Bank of Scotland (RBS) vai mudar o nome da instituição financeira, no final de 2020 para NatWest Group, segundo informações avançadas pela CEO do RBS Alison Rose à Bloomberg.

Alison Rose afirmou que este é o momento certo para fazer uma mudança e alterar o nome do RBS, que já data 293 anos. No entanto, as agências bancárias, como o Ulster Bank, na Irlanda do Norte, do RBS vão manter o nome.

O presidente do RBS Howard Davies também já se manifestou e concorda com a mudança. “Se olharmos para o grupo 80% dos nossos clientes conhecem-nos por NatWest”, afirmou Howard Davies. “Não faz sentido continuarmos a ter o nome de RBS, que foi um nome desenhado para um grupo global de bancos, algo que já não temos”, acrescentou.

Para além da mudança de nome, o RBS anunciou ainda que duplicou o lucro, em 2019, para 3.759 milhões de euros, face ao ano anterior. Os ativos totais situaram-se no final de 2019 em 867.000 milhões de euros, enquanto os depósitos dos clientes atingiram os 443.040 milhões de euros

O banco, que foi resgatado durante a crise do crédito hipotecário há 11 anos, prevê a devolução de 720 milhões de euros, ainda este ano, ao Governo escocês.

Recomendadas

Mais de 10 mil pessoas protegidas pelo seguro Covid-19 da Tranquilidade/Generali

O produto destina-se a empresas que pretendem proteger os trabalhadores, sobretudo as que continuam em atividade nos seus edifícios e o risco de infeção é superior. Lançado há 10 dias, foi desenvolvido em parceria com a AdvanceCare e garante um subsídio diário de 100 euros por cada dia de hospitalização por esta doença.

Chineses desistem de comprar o BNI Europa

O contexto de incerteza na economia global causada pela pandemia da Covid-19 levou o Grupo chinês KWG a desistir de comprar 80,1% da participação do BNI Europa. Negócio estava alinhavado desde dezembro de 2017.

Empresas vão receber 150 milhões de euros do Novo Banco nos próximos dias ao abrigo da linha capitalizar Covid-19

O banco liderado por António Ramalho referiu, em comunicado, que os primeiros 150 milhões de euros que serão concedidos às empresas que são clientes da instituição financeira já têm os respectivos processos “em fase final de assinatura digital”.
Comentários