Receita fiscal do Estado com quebra homóloga de 2,8 mil milhões até outubro

Esta evolução da receita fiscal líquida acumulada do subsetor Estado, assinala a DGO, reflete de forma evidente os efeitos da pandemia de covid-19.

O Estado arrecadou menos 2.823 milhões de euros em impostos até outubro do que no mesmo período de 2019, com a receita fiscal a totalizar 34.459,1 milhões de euros, indica a síntese execução orçamental hoje divulgada.

Até outubro regista-se, assim, uma quebra de 2.822,7 milhões de euros (-7,6%) face aos primeiros dez meses de 2019, “fruto das quedas nas receitas dos impostos diretos em 921 milhões de euros (- 5,9%) e impostos indiretos em 1.902 milhões de euros (-8,8%)”, refere a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

Esta evolução da receita fiscal líquida acumulada do subsetor Estado, assinala a DGO, reflete de forma evidente os efeitos da pandemia de covid-19.

O valor da quebra homóloga da receita até outubro é semelhante ao que se tinha observado na execução orçamental dos primeiros nove meses do ano.

Recomendadas

Académicos minimizam papel da economia na decisão sobre fecho das escolas

“Eu preferia não dar ‘munições’ económicas para esse debate”, disse o professor da Universidade Católica de Lisboa João Borges de Assunção à Lusa, considerando que “o problema do encerramento das escolas é o problema na consequência da educação das crianças e dos jovens”.

Sindicatos da TAP foram avisados de que BE ia propor auditoria à gestão de Neeleman

A auditoria proposta pelo Bloco de Esquerda não será viabilizada no Parlamento. O projeto de resolução entregue pelo BE a recomendar ao Governo uma auditoria à gestão privada da TAP, não chegará a qualquer conclusão no sentido de saber quais são as efetivas responsabilidades do empresário David Neeleman na gestão da TAP e na situação financeira em que a companhia aérea se encontra.

Sines regista aumento de 13% na carga de contentores em 2020

2020 foi o “terceiro melhor resultado de sempre em termos de movimentação de contentores” em Sines, diz a administração portuária local, esclarecendo que “na carga contentorizada importa destacar o aumento do volume relacionado com o hinterland, que representa já mais de 442 mil TEU”.
Comentários