Receitas da Madeira caem 11% e despesa aumenta 2% em junho

Em junho a Madeira teve um saldo deficitário de 63 milhões de euros. as receitas fiscais afundaram 17%.

A Madeira apresentou uma quebra da receita de 11%, para os 56 milhões de euros, e um aumento de 2% na despesa, para os 119 milhões de euros, em junho, diz a Direção Regional de Estatística (DREM), levando a que a Madeira gera-se um saldo deficitário de 63 milhões de euros, quando no período homólogo o défice foi de 53 milhões de euros.

As receitas fiscais apresentaram uma descida de 17%, para os 48 milhões de euros, em junho, quando comparado com os 58 milhões de euros angariados no período homólogo.

Os impostos diretos e indiretos caíram 39% e 14%, para os quatro milhões de euros e 43 milhões de euros, quando no período homólogo se cifravam em sete milhões de euros e 51 milhões de euros.

Na despesa verificou-se um aumento do montante gasto com pessoal de 6%, para os 46 milhões de euros, mais dois milhões de euros, face aos 44 milhões de euros registados no período homólogo.

Os encargos com aquisição de serviços e com juros e outros encargos caíram 21% e 38%, para os quatro milhões de euros e para os 12 milhões de euros.

As transferências correntes representam um encargo de 41 milhões de euros, mais 15%, em comparação com o ano anterior.

Ler mais
Recomendadas

Conheça as regras para viajar com menores

Se os pais do menor estiverem divorciados ou separados judicialmente, a autorização para a saída do país tem de ser prestada pelo progenitor a quem o menor foi confiado e/ou com quem reside.

BPI patrocina 61.ª edição do Rali Vinho da Madeira

O RVM 2020 conta com o Troféu BPI que atribui um prémio monetário aos três pilotos mais rápidos inscritos neste troféu.

Covid-19: Governo dos Açores diz que quadro legal “precisa de ser aperfeiçoado”

O presidente dos Açores reagia a uma decisão do Tribunal Constitucional (TC) que decidiu que as autoridades açorianas violaram a constituição ao impor a quem chegasse à região uma quarentena obrigatória de 14 dias por causa da pandemia de covid-19.
Comentários