Recomendação para Governo auxiliar municípios em matéria de habitação social aprovada

O documento aprovado esta quarta-feira na sessão extraordinária da Assembleia Municipal do Porto mereceu os votos favoráveis do PAN, PSD, CDU e BE.

A recomendação ao Governo para “dotar” de instrumentos legais e financeiros os municípios em projetos de renda acessível, apresentada pelo movimento do presidente da Câmara do Porto, foi aprovada com 15 abstenções da CDU e do PS.

O documento aprovado esta quarta-feira na sessão extraordinária da Assembleia Municipal do Porto mereceu os votos favoráveis do PAN, PSD, CDU e BE.

Numa sessão dedicada, por proposta do Bloco de Esquerda (BE), às políticas públicas da habitação no município do Porto, o grupo ‘Porto, o Nosso Partido’ recomenda que o Governo “dote” de instrumentos e financiamento “não inferior a 50%” os municípios que estão disponíveis para fazer projetos de renda acessível.

“O Porto é uma das cidades portuguesas com maior percentagem de habitantes a viver em habitação social, com cerca de 13% do seu edificado dedicado à habitação municipal com renda apoiada”, afirmou o deputado Raúl de Almeida.

Durante a sua intervenção, Raúl de Almeida salientou que desde 2014 a 2018 o orçamento municipal gastou “perto de 85 milhões de euros” com a habitação social.

Além deste investimento, o deputado salientou que de 2014 a 2019 o programa ‘Porto Solidário’ apoiou 2.400 famílias carenciadas, num financiamento “superior a cinco milhões de euros”.

Segundo o deputado, tendo em conta que foram identificadas “outras carências habitacionais”, o município do Porto lançou recentemente “vários programas de construção de habitação a renda acessível”, que são “apelidados pelo Governo como nova geração de políticas de habitação”.

“Atualmente, a nova geração de políticas de habitação não prevê qualquer financiamento a fundo perdido para que, de novo em parceria com as autarquias, possam ser financiados, projetos de construção pública a renda acessível, como o que o município do Porto projeta para Lordelo”, salientou.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, considerou que esta recomendação vai exigir que o Governo “dê a mesma contrapartida” aos municípios que, à semelhança do Porto, investem na habitação social.

“Desde que cá estou, há seis anos, dinheiro não vi, produção legislativa, isso eu vi, vejo citar a Constituição de uma forma extraordinária. Paz, pão, habitação, saúde e habitação, tudo bem. E dinheiro?”, concluiu.

Ler mais
Recomendadas

Baixas para assistência aos filhos vão ser pagas a 100%

Em entrevista ao jornal “Público”, a ministra do Trabalho e da Segurança Social afirma que o Governo vai criar condições para os “jovens terem filhos mais cedo”. Todas as famílias com um segundo ou mais filhos até três anos de idade terão direito a um cheque para apoio da creche.

Carlos Zorrinho: “Uns ‘Estados Unidos da Europa’ era uma ideia mobilizadora; hoje defendo outro processo”

O eurodeputado eleito pelo PS considera que a União Europeia (UE) tem de “inspirar os povos”, com o seu modelo democrático e social, “baseado na cooperação e no respeito pelos cidadãos”, mas alerta que é “necessário haver menos egoísmos pessoais”. Em entrevista ao Jornal Económico, Carlos Zorrinho fala ainda de um novo modelo de cooperação entre os Estados-membros da UE e sobre o combate que deve ser feito ao populismo e nacionalismo. Sobre as primárias no PS para eleger um novo secretário-geral, espera “que se cheguem muitos à frente” e garante: “nunca vou deixar de ser político”.

Vinte e seis presidentes de câmara do PS contra subida do IVA nos bilhetes das touradas

Municípios com atividades taurinas apelam ao Ministério da Cultura para que reverta subida da taxa na discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2020. E exigem “direito à cultura em igualdade de circunstâncias, independentemente dos gostos pessoais de cada um”.
Comentários