Recompra de ações da Microsoft entusiasma Wall Street

No início da sessão, desta quinta-feira, o S&P 500 cresce 1,10%, para 2.919,80 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 1,42%, para 7.968,83 pontos e o industrial Dow Jones sobe 1,15%, para 26.335,93 pontos.

Reuters

A bolsa de Nova Iorque abriu a sessão desta quinta-feira em terreno positivo impulsionada pelo anuncio da Microsoft de um aumento de 11% do dividendo trimestral. A direção da empresa de Bill Gates aprovou também “o programa de recompra de ações no valor de 40 mil milhões de dólares, o que equivale a 4% da capitalização bolsista (medido a 18 de setembro de 2019)”, explica Ramiro Loureiro, analista de Mercados do Millennium investment banking.

Outro dos factores animadores deste início de sessão diz respeito ao anuncio da Reserva Federal norte-americana de uma nova descida da taxa diretora em 25 pontos base para o intervalo 1,75% e 2%. A Fed subiu as projeções do PIB norte-americano para este ano em 10 pontos base para os 2,2%.

Este facto levou os investidores a reagirem de forma positiva ao discurso de Jerome Powell com os índices norte-americanos a recuperarem das perdas da sessão de quarta-feira. Jerome Powell admitiu que o banco central poderá ser mais agressivo caso a situação se agrave.

No início da sessão desta quinta-feira, o S&P 500 cresce 0,30%, para 3.015,60 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 0,47%, para 8.215,67 pontos e o industrial Dow Jones sobe 0,25%, para 27.214,03 pontos.

Recomendadas

“Não querem partilhar controlo”. Empresas portuguesas explicam à OCDE porque não entram em bolsa

Os custos relacionados, os baixos níveis de liquidez e a complexidade da regulação também foram obstáculos mencionados por mais da metade das empresas num inquérito conduzido pela OCDE.

Falta de liquidez é o principal fator que leva cotadas a abandonar a bolsa portuguesa, diz a OCDE

A OCDE sublinha que, nas últimas duas décadas, o número de empresas cotadas na bolsa de valores portuguesa diminuiu em dois terços, de 148 para 55, resultado de uma queda no número de novas listagens e um grande número de empresas que deixaram o mercado de ações através de cancelamentos de registo.

Juros da dívida portuguesa sobem a dois, a cinco e a 10 anos

Cerca das 08:30 em Lisboa, os juros a 10 anos avançavam para 0,582%, contra 0,571% na quarta-feira, depois de terem subido até 1,441% em 18 de março.
Comentários