Recuse pagamentos antecipados nos empréstimos entre particulares, alertam PSP e ComparaJá.pt

No primeiro vídeo da campanha “Não dê crédito ao dinheiro fácil”, a PSP e o ComparaJá.pt sublinham a importância de se recusar pagamentos antecipados a desconhecidos que prometam empréstimos rápidos e fáceis através da internet.

A Polícia de Segurança Pública (PSP) e a plataforma de comparação de produtos bancários ComparaJá.pt estão a desenvolver uma campanha de sensibilização para os perigos associados às ofertas de empréstimos entre particulares e entidades não habilitadas na internet.

No âmbito desta iniciativa, cujo slogan é “Não dê crédito ao dinheiro fácil”, serão partilhadas várias dicas de prevenção e deteção antecipada de potenciais esquemas fraudulentos, os quais são especialmente vocacionados para atrair pessoas que enfrentam urgências financeiras e não conseguem obter crédito junto de instituições legítimas.

No primeiro vídeo desta campanha, a PSP e o ComparaJá.pt sublinham a importância de se recusar pagamentos antecipados a alguém desconhecido que prometa um empréstimo rápido e com condições fantásticas através das redes sociais, de emails não solicitados ou de portais e fóruns online.

Mesmo nos casos de contratos de mútuo, ou seja, dos empréstimos entre particulares que estão previstos na Lei Portuguesa, é aconselhado que se procure sempre um advogado para a revisão do contrato e, posteriormente, que haja formalização junto das entidades competentes.

“No que aos contratos de mútuo diz respeito, existe um conjunto de questões a que os cidadãos deverão ter atenção, tal como o facto de existir um limite legal para o juro aplicável sobre o valor em dívida ou de, para empréstimos superiores a 25.000 euros, ser necessária a celebração de escritura pública”, explica José Figueiredo, CEO do ComparaJá.pt.

“Por ser um processo com alguma complexidade, é importante que as pessoas procurem apoio de um advogado antes de avançarem com pagamentos ou assinaturas de contratos”, sublinha o responsável do portal gratuito de comparação.

Conforme a Portaria n.º 291/2003, de 8 de abril, a taxa de juro definida para o mútuo civil é de 4%.

 

Recomendadas

O que devem todos os cidadãos saber antes de decidir emigrar?

A DECO tem conhecimento de consumidores que arriscaram partir, em busca de soluções melhores para a sua vida, e encontraram armadilhas e um mundo de preocupações. As ofertas de trabalho no estrangeiro são comuns e parecem ser sempre aliciantes.

“Nem tudo são rosas”. Qual o impacto negativo de uma quebra nas taxas de juro?

Os bancos têm várias formas de captar o seu rendimento e se não conseguem fazê-lo ao nível dos créditos, vão aumentar comissões. “Nem tudo são rosas”, alerta João Morais Barbosa, administrador do Grupo Reorganiza.

Época de vacinação contra gripe começa hoje

Há dois milhões de vacinas disponíveis, 1,4 milhões para serem dadas gratuitamente a grupos de risco no SNS e cerca de 600 mil para venda em farmácias.
Comentários