Reino Unido regista 242 mortes e prepara-se para acelerar vacinas modificadas

O Reino Unido registou 242 mortes e 6.573 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, divulgou esta quinta-feira o governo britânico, que já está a fazer preparativos para acelerar uma nova geração de vacinas contra o coronavírus.

Na quarta-feira tinham sido notificadas 315 mortes e 6.385 casos, mas a média dos últimos sete dias é de 255 mortes e 6.685 infeções.

No total, morreram no Reino Unido 124.025 pessoas entre 4.201.358 casos de contágio confirmados desde o início da pandemia covid-19.

Até hoje, 20.982.571 pessoas receberam a primeira dose de uma vacina contra o novo coronavírus, das quais 963.862 receberam uma segunda dose, a qual é administrada com um intervalo de até 12 semanas.

Hoje, a Autoridade Reguladora de Medicamentos britânica disse que os fabricantes poderão ver aprovadas vacinas modificadas com provas de que produzem uma resposta imune, mas sem a necessidade de realizar estudos clínicos.

“A nossa prioridade é levar ao público vacinas eficazes no menor espaço de tempo possível, sem comprometer a segurança. Caso sejam necessárias quaisquer modificações nas vacinas covid-19 autorizadas, esta abordagem regulatória deve ajudar”, explicou o presidente da Autoridade, Christian Schneider.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.560.789 mortos no mundo, resultantes de mais de 115,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.458 pessoas dos 807.456 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ler mais
Recomendadas

Rede Nacional de Expressos reforça ligações em todo o território nacional

Os responsáveis da empresa criticam o facto de Portugal ser atualmente “o único país da União Europeia com este constrangimento de dois terços da lotação do transporte rodoviário, divergindo dos procedimentos europeus e criando dificuldades logísticas e financeiras ao nível do transporte nacional e internacional”.

Regulador europeu reconhece ligação entre vacina da Johnson & Johnson e formação de coágulos sanguíneos

A Agência Europeia do Medicamento concluiu que há uma possível relação entre a formação de coágulos sanguíneos e a administração da vacina da Janssen. Ainda assim, o regulador frisa que os benefícios são superiores aos riscos e que os casos reportados são “muito raros”.

França é o primeiro país da UE a avançar com testes ao certificado digital de vacinação

Caso os ensaios corram bem, o sistema poderá ser adotado para permitir a entrada em eventos ao ar livre, nomeadamente, concertos, festivais e até feiras. Bruxelas espera ter o documento disponível para toda a Europa partir de 21 de junho.
Comentários