Rendas: Contratos de renovação vão ter duração mínima de três anos

Proposta do Partido Socialista que põe fim à “Lei Cristas” é apoiada pelo Partido Comunista Português e Bloco de Esquerda. Senhorios só podem opor-se a esta renovação no caso de precisarem para si próprio ou descendentes diretos.

Os contratos de arrendamento urbano para fins habitacionais vão voltar a ter uma duração mínima fixada por lei. A renovação dos contratos passa a ser automática durante um mínimo de três anos, segundo revela a edição desta terça-feira, 23 de outubro, do jornal “Público”.

A chamada “Lei Cristas”, com a “liberalização” da duração dos contratos criada em 2012, vai desaparecer após os deputados terem assinalado no grupo de trabalho da Habitação, as alterações ao Código Civil que definem que a duração dos contratos passa a ter um mínimo de um ano e um máximo de 30 e que a renovação passa a ser automática por períodos de igual duração durante um “mínimo de três anos”.

Salvo estipulado em contrário, mesmo que estabeleça um contrato com a duração de um ano, o senhorio não poderá opor-se à sua renovação durante, pelo menos, três anos. Em contrapartida, o inquilino pode não renovar o contrato, bastando-lhe para tal dar conhecimento ao senhorio.

A proposta foi apresentada pelo Partido Socialista (PS) com o objetivo de dar uma maior estabilidade e duração aos contratos de arrendamento, tendo recebido o apoio do Partido Comunista Português (PCP) e do Bloco de Esquerda (BE), que pretendia que os contratos passassem a ter uma duração mínima de cinco anos.

Esta lei define também quais as situações em que esta duração mínima de três anos se aplica. O senhorio só poderá opor-se à renovação no caso de precisar da habitação para si próprio ou para descendentes diretos. Em relação aos arrendamentos não habitacionais, e mesmo que o contrato indique um período meno, fica estipulado que nos primeiros cinco anos o proprietário não se pode opor à renovação do contrato.

Salvo em indicação em contrário os contratos terão renovação automática por períodos de cinco anos.

Ler mais
Recomendadas

Valor médio das rendas fixa-se nos 5,41 euros por metro quadrado

Esta valor representa uma descida de 9,8% pontos percentuais (p.p) nos novos contratos de arrendamento. No segundo trimestre de 2020, houve uma redução do valor médio das rendas face ao período homólogo em 12 dos 24 municípios com mais de 100 mil habitantes.

Preços do gás natural descem 2,2% a partir de outubro no mercado regulado

Esta redução implica menos 21 cêntimos por mês para um casal que paga em média 11,95 euros, e 47 cêntimos mensais para um casal com dois filhos com uma fatura média mensal de 22,61 euros. O mercado regulado conta com 254 mil consumidores.
TAP Portugal

TAP oferece viagens a crianças que voem com a família nos voos europeus

Oferta é válida a partir desta quinta-feira, com a companhia aérea a oferecer uma viagem gratuita por cada bilhete de adulto comprado as crianças até aos 11 anos.
Comentários