Respostas Rápidas: Como podem os emigrantes ser ajudados no regresso a Portugal

O Governo lançou esta segunda-feira um programa de apoio ao regresso dos trabalhadores portugueses que emigraram para o estrangeiro e que querem regressar ao país. O programa prevê apoios que podem chegar aos 6.536 euros.

O que é o Programa Regressar?

O Programa Regressar é uma iniciativa governativa destinada a apoiar o regresso dos trabalhadores portugueses e lusodescendentes que emigraram e que querem regressar a Portugal. O programa inclui medidas como um regime fiscal mais favorável para quem regressa a território nacional e um apoio financeiro para os emigrantes e/ou familiares que venham trabalhar para Portugal, que pode chegar a 6.536 euros. Além disso, está prevista uma linha de crédito para apoiar o investimento empresarial e a criação de novos negócios.

Quem pode beneficiar destes apoios?

O programa destina-se a todos os portugueses e lusodescendentes que emigraram e que iniciem atividade laboral em Portugal, entre 1 de janeiro deste ano e 31 de dezembro de 2020, mediante celebração de um contrato de trabalho sem termo e por conta de outrem. Os candidatos devem ainda ser emigrantes que tenham saído de Portugal até 31 de dezembro de 2015, ter uma situação contributiva e tributária regularizada e não se encontrem em situação de incumprimento no que respeita a apoios financeiros do IEFP.

Os familiares também estão abrangidos por estes apoios?

Sim. O Programa Regresso destina-se também aos familiares dos trabalhadores portugueses e lusodescendentes que emigraram e que querem regressar a Portugal, desde que “reúnam as restantes condições previstas para os destinatários da medida”.

Qual o valor do apoio financeiro?

Os cidadãos que reúnam os requisitos estipulados têm direito a um apoio financeiro no valor de seis vezes o Indexante de Apoios Sociais (IAS), ou seja, 2.614 euros. Este montante é majorado em 10% por cada elemento do agregado familiar do destinatário que fixe residência em Portugal, até um limite de três vezes o valor do IAS (1.307 euros). A este apoio financeiro podem juntar-se outros, como a comparticipação dos custos da viagem para Portugal, custos de transporte de bens e os custos de reconhecimento. O programa consagra também a redução da tributação em 50% dos rendimentos do trabalho dependente e dos rendimentos empresariais e profissionais, durante um período de cinco anos, para os cidadãos que regressem a Portugal entre 2019 e 2020.

Como é que os cidadãos podem aceder a estes apoios?

As candidaturas à nova medida de apoio ao regresso podem ser feitas no site do Instituto de Emprego e Formação Profissional. O Governo lançou ainda um portal online, onde podem ser consultadas as condições exigidas para os requerentes e os termos do programa e dos apoios previstos. Estão ainda disponíveis as linhas de apoio: 300 088 000 ou 965 723 280 (para WhatsApp ou Skype).

Recomendadas

Legislativas: Cerca de 40% dos deputados do PSD eleitos em 2019 vão ficar fora do parlamento

No final da reunião, que durou cerca de três horas, e culminou com a aprovação das listas, com 71% de votos favoráveis, o presidente do PSD, Rui Rio, assumiu que a renovação foi um dos objetivos da direção, mas rejeitou que tivessem sido excluídos todos os nomes que não apoiaram o atual presidente.

Rui Rio diz que há “clarificações” mas recusa limpeza nas listas de deputados

Questionado se não teme ouvir, no Conselho Nacional que se seguirá, críticas de saneamento, o presidente do PSD disse esperar que não, pelo menos de um ponto de vista “global” das listas.

Ex-ministra Constança Urbano de Sousa vai abandonar o parlamento

Esta posição consta de uma mensagem que Constança Urbano de Sousa enviou aos deputados do PS do distrito do Porto, círculo pelo qual foi eleita deputada nas eleições legislativas de 2019.
Comentários