Ricardo Lume apela a mais apoios europeus para a produção regional

O candidato da CDU Madeira ao Parlamento Europeu afirmou que a Madeira precisa de eurodeputados que não sejam apenas uma caixa de ressonância dos interesses das grandes potências europeias, mas de pessoas que defendam a produção regional e a soberania alimentar da região autónoma.

O candidato indicado pela CDU Madeira ao Parlamento Europeu, Ricardo Lume, apelou à atribuição de mais apoios europeus para a produção regional, e vincou a importância da agricultura na coesão económico e social da região autónoma.

Na visita ao Curral das Freiras, o candidato da CDU, defendeu a certificação da castanha para garantir a diferenciação de outras produções importadas, e lembrou que a intervenção do partido no Parlamento Europeu no apoio ao combate à Vespa-das-galhas-do-Castanheiro e aos agricultores infestados por esta praga.

“A Madeira, precisa de quem no Parlamento Europeu, não seja apenas uma caixa de ressonância, dos interesses das grandes potências da União Europeia. A Região e o País precisam de quem no Parlamento Europeu defenda a produção regional e a nossa soberania alimentar”, afirmou.

Para Ricardo Lume dar mais força à CDU é garantir deputados comprometidos com “a defesa dos interesses Regionais” entre os quais a “defesa da produção e da soberania alimentar”.

Recomendadas

Virus: segundo hospital para infetados criado na China dentro de duas semanas

O hospital terá capacidade para 1.300 camas, as quais se somarão aos 1.000 leitos previstos para o primeiro hospital para pacientes portadores do vírus que será construído em dez dias.

Vírus: Governo português reforça apoio a cidadãos de Wuhan e admite retirá-los

O Governo tem estado a estabelecer contacto com os portugueses, tendo identificado duas dezenas de cidadãos que são ali residentes ou que se encontram em visita à cidade de Wuhan.

Hong Kong declara estado de emergência devido a coronavírus

O país decidiu ainda manter encerradas as escolas primárias e secundárias durante as duas próximas semanas, depois das férias do Ano Novo Lunar.
Comentários