Rui Rio defende que Plano de Recuperação deve ser focado nas empresas

Rui Rio também sublinhou a importância de um aumento do salário e explicou que o plano de recuperação do PSD terá alguns pontos que coincidem com os do Governo.

Flickr/PSD

O presidente do PSD, Rui Rio, destacou o investimento que deve ser feito nas empresas através do Plano de Recuperação e Resiliência debatido com o primeiro-ministro esta segunda-feira.

O partido liderado por Rui Rio encerrou a ronda de reuniões com os partidos com representação no parlamento e no fim o representante do PSD garantiu aos jornalistas que “o grosso do objetivo tem de ser virar para as empresas porque são estas que geram a produção, são as empresas que pagam os salários , isto sem querer esquecer obviamente a componente pública que é obviamente complementar, mas o núcleo central tem de estar nas empresas e dentro das empresas ligadas à exportação e ao investimento”.

Rui Rio é da opinião que o dinheiro vindo de fundos europeus é “um montante excecional” e “tem seguramente de dar alguma resposta a curto prazo, é verdade, mas tem acima de tudo de dar resposta a longo prazo”.

“Não podemos perder esta oportunidade e portanto este programa tem de ser desenhado tendo em vista o futuro e tendo em vista o futuro há uma pedra que é fundamental que é a competitividade da economia”, frisou o líder social-democrata.

Além da relevância do investimento nas empresas, Rui Rio também sublinhou a importância do aumento do salário e garantiu que esta é uma questão “fundamental”.

“Quanto mais forte e maior é a classe média mais desenvolvido é um país e o que nós temos vindo a assistir desde há uns anos para cá é o enfraquecimento da classe média, é o encostar da classe média, às classes mais desfavorecidas e isso não é sintoma de desenvolvimento”, apontou Rui Rio.

Medidas que vão constar do Plano de Recuperação do PSD, um assunto que também foi falado por Rui Rio esta segunda-feira depois da reunião com António Costa. O líder do Partido Social Democrata explicou que estão a a preparar um documento alternativo ao do Governo que será apresentado “dentro de alguns dias”.

Sobre o plano do PSD, Rui Rio admitiu que haverá coincidências com aquele definido pelo Governo “até porque há cosias que tem de haver coincidência na exata medida que há imposições de Bruxelas que nós temos de cumprir”.

“Vamos ver melhor aquilo que está na proposta do Governo porque não está arrumado numa gaveta, está disperso em diversas gavetas”, garantiu Rui Rio.

 

Ler mais
Relacionadas
catarina_martins_oe_2020

Plano de recuperação: Bloco de Esquerda destaca necessidade de contratar profissionais para o SNS

“Estamos neste momento numa situação muito complicada”, assegurou a líder do Bloco de Esquerda, recordando que hoje temos “menos médicos no SNS do que tínhamos há um ano”.

Francisco Rodrigues dos Santos deixa aviso: Plano de Recuperação “não pode significar uma festa do Bloco Central”

Líder centrista quer mecanismos de controlo de fiscalização na execução das verbas do Plano de Recuperação e defende que o Estado “não pode ficar com a maior parte ou a fatia mais significativa destes apoios”.
Recomendadas

AEP quer garantias de que o PNI 2030 é mesmo para cumprir

Planos que nunca saíram do papel e programas que suspensos antes de chegarem ao fim são comuns em Portugal, Sendo assim, Luís Miguel Ribeiro quer um ‘acordo de regime’ para que o Programa Nacional de Investimentos 2030 não siga o mesmo caminho.

“Há quem não desista”. António Costa abre debate na generalidade com recados ao Bloco de Esquerda

Sem nomear diretamente os bloquistas, o líder do Executivo socialista saudou os partidos à esquerda, as duas deputadas não inscritas e o PAN por viabilizarem o documento e sublinhou: “a votação na generalidade é a votação da clarificação política”.

Em novo pingue-pongue com o PS, BE deixa a porta aberta para “rever posição” na votação final

Por seu lado, João Paulo Correia socorreu-se do argumento também defendido pela ministra do Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, e considerou que quem vota contra “não está interessado em melhorar o Orçamento na especialidade”.
Comentários