Rui Rio surpreendido com “desistência” de candidato do PS à Câmara do Porto

O presidente do PSD diz-se surpreso com a desistência do candidato do PS, mas compreende: afinal, diz, há entendimentos por explicar entre os socialistas e o atual presidente, Rui Moreira.

Flickr/PSD

Esta quarta-feira, o secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, anunciou à Lusa ter declinado o convite do PS para se candidatar à presidência da Câmara do Porto, o que levou o líder da oposição e presidente do PSD, Rui Rio , a afirmar em conferência de imprensa que “não contava, isto é uma coisa absolutamente louca. É apresentado num dia e um dia e tal depois desiste, tão longe eu não ia”.

“Recebi com orgulho o convite do presidente da Federação Distrital do Porto do PS para encabeçar uma candidatura à Câmara Municipal do Porto, contudo, após reflexão cuidada, declinei hoje o convite que me foi endereçado”, refere o governante em nota à Lusa.

Posteriormente, o secretário-geral do PS manifestou “total solidariedade” com a decisão de Eduardo Pinheiro declinar o convite para se candidatar à presidência da Câmara do Porto, esperando agora que concelhia e federação deste partido encontrem “uma solução vitoriosa”.

Rui Rio considerou que vai ser “muito difícil” ao PS arranjar um candidato que faça “figura de corpo presente” porque, entendeu, “é evidente que há compromissos não frontais e não transparentes entre o PS e o atual presidente da Câmara do Porto”.

“O PS está a procurar praticamente o impossível, que é desejar a vitória do atual presidente da câmara, ao mesmo tempo que quer ter uma candidatura para disfarçar isso. Obviamente, assim é muito difícil arranjar alguém que se predisponha a ir fazer pouco mais do que figura de corpo presente”, disse.

Recomendadas

G7: Líderes da UE alertam Londres para respeitar acordo de saída

Em causa estão divergências sobre a aplicação do acordo na Irlanda do Norte, onde o Reino Unido tomou medidas unilaterais para mitigar o impacto da introdução de controlos aduaneiros na circulação de algumas mercadorias, como produtos alimentares frescos. 

Bolsonaro age para partidarizar e quebrar espinha das Forças Armadas no Brasil, dizem analistas

Na semana passada, o general e comandante do Exército brasileiro, Paulo Sérgio Oliveira, decidiu não punir o também general do Exército Eduardo Pazuello, que participou num passeio de moto no Rio de Janeiro, com o Presidente da República, e até discursou em cima de um carro de som em 23 de maio.

André Ventura exige demissão de Fernando Medina

Líder do Chega considera que o presidente da Câmara de Lisboa “violou grosseiramente os seus deveres de titular de cargo político” devido ao envio de informações pessoais de manifestantes à Embaixada da Rússia.
Comentários