Rússia aumenta cooperação nos diamantes de Angola

O ministro russo dos Recursos Minerais e Ecologia, Aleksandr Kozlov, destacou a cooperação entre a Endiama e a Alrosa e o ministro angolano dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, sublinhou o interesse de Angola criar parcerias público-privadas com russos.

A cooperação entre Angola e a Rússia “no domínio mineiro, e particularmente no domínio diamantífero, é a que apresenta maior relevância”, afirmou o ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás de Angola, Diamantino Azevedo. Numa recente reunião da Comissão Intergovernamental de Cooperação Económica Técnico-Científica e Comercial Angola-Rússia, as partes analisaram o “estado atual e as perspetivas de interação no domínio dos diamantes” e concordaram em acelerar “a solução de questões pendentes”. Esta comissão foi co-presidida por Diamantino Azevedo e pelo ministro russo dos Recursos Minerais e Ecologia, Aleksandr Kozlov, referiram as autoridades de Luanda ao Jornal Económico.

Aleksandr Kozlov destacou a cooperação no segmento dos diamantes, entre a Endiama e a Alrosa, manifestando o desejo de a incrementar e “ultrapassar pendências existentes” e apelou ainda à cooperação no domínio da medicina e farmacêutica, com destaque para as vacinas.

Diamantino Azevedo referiu que “existe interesse e perspetivas dos dois países reforçarem e diversificarem a cooperação nos domínios da ciência, da educação, uso de tecnologias modernas de telecomunicações e ainda no domínio económico, mediante a criação de parcerias público-privadas, para desenvolver projetos concretos relacionados com a indústria exportadora, a agro-indústria, as pescas, a energia, o petróleo e gás, bem como outros sectores considerados prioritários no quadro da diversificação económica de Angola”.

O ministro Diamantino Azevedo sublinhou que a cooperação entre Angola e a Rússia “está no bom caminho, rumo à consolidação das relações entre os dois povos e governos”, particularmente, “o reforço da nossa parceria estratégica”.

Acompanhados por delegações multi-sectoriais, os ministros passaram em revista os vários acordos e ou protocolos de cooperação multi-sectorial e rubricaram, no final da reunião, uma declaração conjunta em que se realça o “desejo de manter e incrementar a excelente cooperação histórica e estratégica entre os dois países, em domínios como o técnico, empresarial, comercial, científico, militar, entre outros”, referem as autoridades angolanas.

Neste encontro participaram representantes da Endiama, da Sonangol Pesquisa e Produção, diretores nacionais dos ministérios das Relações Exteriores, dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, da Cultura, Turismo e Ambiente, da Justiça e dos Direitos Humanos, Energia e Águas e da Agricultura e Pesca.

Ler mais

Recomendadas

Recuperação e inflação devem levar Portugal a pagar mais para emitir dívida a 10 e 15 anos

A ultima venda de OT a 10 anos foi através de um sindicato bancário, a 7 de abril, com a instituição liderada por Cristina Casalinho a pagar 0,30% para emitir quatro mil milhões de euros, mas entretanto as ‘yields’ têm vindo a subir devido à expectativas sobre a inflação e sobre o programa de compra de ativos do BCE.

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta quarta-feira

Esta terça-feira vai estar em destaque os leilões de Obrigações do Tesouro da IGCP (Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública), com um montante indicativo global entre 1.000 milhões de euros e 1.250 milhões de euros.

Reembolsos de IRS já ultrapassaram os mil milhões de euros

Segundo o ministério das Finanças “já foram liquidadas pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) 1 855 691 declarações, das quais 1 084 219 deram lugar a reembolso e 188 230 a notas de cobrança”.
Comentários