Sagres vai patrocinar o túnel que liga o campus da Nova SBE à praia

O Sagres Beach Way vai facilitar o acesso à praia de Carcavelos a partir do Campus da Nova SBE.

Foto cedida

A Central de Cervejas  vai patrocinar o túnel de acesso direto do novo campus da Nova School of Business and Economics (Nova SBE), em Carcavelos, à praia, que se denominará “Sagres Beach Way”, anunciou a empresa, em comunciado.

Em comunicado, “é um privilégio e uma oportunidade estarmos associados a um projeto nacional como o do Novo Campus SBE, de dimensão e reconhecimento internacional”, refere a empresa.

“O espaço escolhido, a sua localização, e o layout do novo Campus, associado à competência reconhecida do ensino da Universidade Nova SBE, irá certamente proporcionar a todos que o frequentarem, particularmente aos estudantes, uma experiência única e inesquecível da vida académica”, refere Nuno Pinto de Magalhães, diretor de Comunicação e Relações Institucionais da SCC, no comunicado.

Relacionadas

Nova SBE abre portas em Carcavelos a 800 novos alunos de mestrados

A Nova School of Business & Economics recebe esta quinta-feira, 30 de agosto, os novos alunos dos seus três mestrados: Gestão, Finanças e Economia.

Premium“A Nova é uma das três mais importantes escolas de gestão alemãs”

O responsável pelo novo campus da Nova SBE explica o processo de construção e como se quer diferenciar para concorrer com os melhores.
Recomendadas

PRR serve “quem já está à mesa do Orçamento”, diz Viriato Soromenho-Marques

De acordo com o professor na Universidade de Lisboa, o Plano de Recuperação e Resiliência privilegia os grandes grupos económicos: “Essas pessoas não precisam de nenhum partido, já lá está o partido que lhes serve os interesses, já está instalado”.

Milhões da Europa começam a chegar este ano para o hidrogénio verde

O Plano de Recuperação e Resiliência vai começar a distribuir apoios já este ano e vai ser lançado um leilão para atribuir apoios. Várias empresas estão já a trabalhar para desenvolver um ‘cluster’ industrial de H2 verde de Sines.

Portugal terá a ganhar com acordo tributário global, diz ministro das Finanças

João Leão ressalva, contudo, ser “prematuro retirar consequências diretas para Portugal” deste compromisso, uma vez que este dependerá da forma como a criação de uma taxa mínima global sobre os lucros daquelas empresas e a atribuição de direitos fiscais aos países onde as empresas operam e não apenas onde estão sedeadas se irão articular e também de questões que precisam ainda de ser consensualizadas.
Comentários