“Sai sem sair”. BE quer Manuel Salgado fora de empresa municipal

Os bloquistas consideram que o facto de Manuel Salgado, vereador do Urbanismo na Câmara Municipal de Lisboa, continuar à frente da Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU), empresa municipal de obras de Lisboa, é uma forma de “sair sem sair”.

O Bloco de Esquerda (BE) quer propor o afastamento do vereador cessante da Câmara Municipal de Lisboa na área do Urbanismo, Manuel Salgado, do conselho de administração da Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU). Os bloquistas consideram que o facto de Manuel Salgado continuar à frente da empresa municipal de obras de Lisboa é uma forma de “sair sem sair”.

O pedido de afastamento de Manuel Salgado da administração da SRU vai ser apresentado pelo vereador bloquista da autarquia de Lisboa Manuel Grilo, na próxima reunião da Câmara Municipal. Manuel Grilo notam que os estatutos da empresa municipal, que Manuel Salgado passou a presidir em julho de 2018, concentram competências no âmbito de obras, que estavam até então nas mãos do executivo municipal.

Entre as competências que passaram para as mãos da Sociedade de Reabilitação Urbana durante a administração do homem forte do urbanismo, do património e das obras municipais da Câmara Municipal de Lisboa estão, por exemplo, as funções de decidir sobre a construção de creches, escolas, centros de saúde e casas novas na cidade de Lisboa.

Numa publicação partilhada no Twitter, Manuel Grilo diz ainda que “Manuel Salgado sai sem sair, estando liberto do escrutínio político como administrador da empresa municipal de obras de Lisboa”.

O BE sempre foi contra a constituição da SRU “enquanto solução para as intervenções urbanísticas na cidade”, assim como foi contra o Plano Director Municipal criado por Manuel Salgado “que permite atribuir créditos de construção e assim acrescentar pisos aos edifícios ao sabor dos promotores imobiliários”, nota o gabinete de comunicação do BE na Câmara de Lisboa.

Manuel Salgado vai deixar a autarquia da capital por acreditar que “é necessário que as pessoas não se eternizem nos lugares e deem lugar a outras mais novas, com novas formas de resolver os problemas, até porque os desafios são diferentes dos que eram há uns anos”. O socialista anunciou a decisão numa altura em que completa 75 anos de vida e 12 de mandato.

O sucessor de Manuel Salgado será Ricardo Veludo, coordenador da equipa de missão do Programa Renda Acessível.

Relacionadas

Manuel Salgado e as polémicas que marcaram 12 anos de mandato na Câmara de Lisboa

O vereador deixou a Câmara de Lisboa esta quarta-feira e vai ser substituído no cargo por Ricardo Veludo, coordenador da equipa de missão do Programa Renda Acessível. Conheça as principais polémicas de Manuel Salgado ao longo de 12 anos de mandato.

Manuel Salgado diz que “a vida pública e política piorou muito” nos últimos 12 anos

O vereador do Urbanismo da Câmara de Lisboa, Manuel Salgado, defende, na sua carta de renúncia, que “a vida pública e política piorou muito” ao longo dos últimos 12 anos, possibilitando a “manipulação dos ‘media’ e a difusão da mentira”.
Recomendadas

Catarina Martins sinaliza que “só não há um OE se o Governo não quiser”

A líder bloquista exemplificou algumas das áreas nas quais quer ver avanços no documento de OE, como o SNS ou as “longas carreiras contributivas”, esclarecendo ainda que “não se prende por questões formais”, pretendendo apenas “redações exatas das leis”.
Nuno Melo e Francisco

Nuno Melo abre e Rodrigues dos Santos encerra escola de quadros da Juventude Popular

Atual líder centrista e o eurodeputado que pretende ser o próximo presidente do partido não se irão cruzar no hotel de Portimão onde decorre uma ação de formação que conta com convidados como o social-democrata Miguel Pinto Luz e o socialista Álvaro Beleza, presidente da SEDES.

PCP: “Não tem havido grande evolução” nas negociações com o Governo sobre o OE2022

Segundo Jerónimo de Sousa, o partido transmitiu a Marcelo Rebelo de Sousa a importância de o orçamento do próximo ano ter incluídas medidas essenciais, nomeadamente de valorização dos salários, das reformas e das pensões, reforço da rede de creches e dos serviços públicos.
Comentários