Saiba como ter uma condução mais amiga do ambiente

Optar por transportes públicos é uma das soluções amiga do ambiente, mas se o consumidor não tiver condições para os utilizar, pode sempre adotar uma condução mais eficiente, com menos acelerações e travagens bruscas ou excessos de velocidade.

Quando se pensa em poluição automóvel associa-se de imediato a questão aos gases de escape emitidos, mas, na verdade, existem outros factores poluentes.

O setor automóvel detém uma elevada percentagem da poluição libertada para o meio ambiente, sendo que a justificação principal, e a mais reconhecida pelos consumidores, a emissão de gases resultantes da combustão, ou seja, do gasóleo ou gasolina.

Esta situação, bem conhecida e debatida, tem provocado graves problemas de saúde à humanidade, essencialmente do foro respiratório e do coração, facto que leva a opinião pública a exigir veementemente a limitação das emissões. A aposta na produção de carros elétricos é prova disto mesmo.

Mas existem outros fatores poluentes, frequentemente esquecidos, como os pneus e/ou o desgaste dos travões. Estes segmentos “extra-escape” representam dentro desta indústria automóvel 50% do valor total de partículas poluentes.

A própria legislação tornou-se mais restritiva em relação à emissão de gases poluentes, no entanto, não o suficiente em relação a estas situações conjuntas.

Vários fatores contribuem para uma maior ou menor emissão de partículas dos pneus, tais como:

  1. Características do pneu (tamanho, construção, pressão, área de contacto, entre outros…);
  2. As características do próprio automóvel (tipologia, peso, carga e distribuição, potencia do motor, sistema de travagem, manutenção, etc…);
  3. Operação do veículo em questão dado a sua velocidade, aceleração linear, frequência e força de travagem ou de curva;
  4. As próprias características do piso também influenciam.

Optar por transportes públicos é uma das soluções amiga do ambiente, mas se o consumidor não tiver condições para os utilizar, pode sempre adotar uma condução mais eficiente, com menos acelerações e travagens bruscas ou excessos de velocidade.

Saiba mais connosco.

Conte com o apoio da DECO através do número de telefone 968 800 489/291 146 520, do endereço eletrónico deco.madeira@deco.pt. Pode também marcar atendimento via skype. Siga-nos nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, Linkedin e Youtube!

Ler mais
Recomendadas

Saiba como funcionam as garantias para os bens comprados digitalmente

Só no negócio entre particulares é que não existe garantia e esta situação é muito comum nas compras online.

Preço médio das rendas subiu perto de 2% em setembro

Viana do Castelo, Viseu, Porto e Aveiro foram os distritos que apresentaram a maior variação no preço médio. Em sentido inverso, Bragança registou a maior quebra no preço médio de arrendamento face ao mês de agosto, de acordo com os dados do portal Imovirtual.

Saiba o que é o bloqueio geográfico e como pode afetar os consumidores

Recentemente, a DECO analisou vários sites comerciais e verificou-se que, pelo menos, 28 empresas não faziam entregas na Região Autónoma da Madeira, não possibilitando assim a compra digital dos seus bens. Mesmo até quando o consumidor sugere suportar os custos de entrega associados tal não é exequível.
Comentários