Saiba que opções tem para ter um Natal mais sustentável e economizar na carteira

Não perder de vista a escolha acertada e sustentável tem de ser o primeiro comportamento do consumo natalício.

A tradição de enfeitar um pinheiro para receber o Natal tornou-se comum nas casas das famílias portuguesas a partir da metade do século passado.

“Fazer” a árvore de Natal é, hoje, um gesto quase natural e um ato de consumo rotineiro, porém apostar num Natal com o menor impacto ambiental ainda não é tradição. Não perder de vista a escolha acertada e sustentável tem de ser o primeiro comportamento do consumo natalício.

Compre uma árvore sintética ou construa-a com materiais reciclados, desde o cartão, metal ou plástico lá de casa, tudo poderá ser utilizado na criação de uma árvore original e divertida.

Se a decisão de ter um pinheiro natural for inabalável recorra aos que são vendidos com autorização, seja pela corporação de bombeiros, grupo de escuteiros ou município, que garante a sustentabilidade do corte. Certifique-se ainda de que há recolha da árvore após as festas, pois depositada incorretamente, inviabiliza os benefícios assumidos.

Independentemente da árvore escolhida, os enfeites poderão, também, ser um aproveitamento de materiais, como tecido, papel e até cápsulas de café. Não se esqueça de aproveitar as decorações mais antigas. São vintage. Além do dinheiro que poupa, o ambiente agradece.

Árvore de Natal sem iluminação é impensável. Também na escolha das luzes pode ser mais sustentável. Opte por um sistema de luzes led com transformador de baixa tensão. Se o isolamento dos condutores se danificar não há risco de choque elétrico. Esta será uma escolha mais dispendiosa, mas mais segura e a segurança não tem preço.

Não se esqueça de conversar com os mais novos sobre os enfeites e iluminações da árvore de Natal. Estes equipamentos não são brinquedos. Podem causar acidentes, como pequenos cortes, entalões ou até queimaduras.

Conte com o apoio da DECO MADEIRA através do número de telefone 968 800 489/291 146 520, do endereço electrónico deco.madeira@deco.pt. Pode também marcar atendimento via Skype. Siga-nos nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, Linkedin e Youtube!

Ler mais
Recomendadas

Maioria dos portugueses prefere produtos que utilizam a menor embalagem possível

O recente estudo, realizado pela DS Smith e Ipsos MORI mostra que, apesar da crise global de saúde, os consumidores continuam a ter em conta o ambiente: 85% dos inquiridos querem comprar produtos que utilizem a menor embalagem possível

Deco alerta para riscos das compras através de redes sociais

Estas “lojas”, na sua maioria, não se encontram registadas como empresas em Portugal, não possuem um endereço físico de contacto, e, por vezes, não se tratam de vendas de comerciantes, mas sim vendas entre particulares, o que torna mais difícil a resolução de um possível conflito. O endereço físico da loja, ou uma morada para contacto, é essencial para reclamar em caso de conflito.

Economia circular: portugueses gastam mais de 140 euros por ano em bens usados

Em média, o consumidor português gasta 142 euros por ano em bens usados. As razões que motivam estas compras são principalmente a relação qualidade/preço e a sustentabilidade.
Comentários