Salários da Função Pública: “Não há condições para 1% de aumento”, diz ministra

A ministra da Administração Pública disse em entrevista à Antena 1/ Jornal de Negócios que a pandemia da Covid-19 impediu o Governo de aumentar os salários da Função Pública.

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública | Cristina Bernardo

O Governo diz que “não há condições” para aumentar os salários na Função Pública em 2021. A ministra da Modernização Administrativa e da Administração Pública disse que a pandemia da Covid-19 e a consequente crise económica deitou por terra a intenção do Governo de aumentar os salários da administração pública no próximo ano.

“Se tudo corresse normalmente haveria condições para 1% de aumento transversal, não há essas condições. Num contexto em que há pessoas a perder o emprego, acho que do ponto de vista da própria solidariedade entre trabalhadores seria difícil defender um aumento transversal para os trabalhadores da função publica”, afirmou Alexandra Leitão em entrevista à Antena 1/Jornal de Negócios.

A ministra relembrou que em 2019 nas negociações para o Orçamento do Estado deste ano “verificou-se que havia uma folga”, mas que a situação este ano é “muito diferente”.

“Todos compreendemos que na situação atual em que nos esforçamos por evitar perda de emprego, em que há desemprego, garantir postos de trabalho, não conseguimos ir além da proteção dos rendimentos, e da base da tabela remuneratória a acompanhar a subida do salário mínimo”, afirmou a ministra.

“É sempre possível que as coisas corram melhor durante a negociação ou no âmbito do Orçamento. Foi isto que propusemos aos sindicatos, foi isso que já conversámos com eles. Cumprindo as regras de negociação previa à entrega do OE. Neste momento, não consigo adiantar mais”, segundo Alexandra Leitão.

Recomendadas

Fatura da eletricidade no mercado regulado sobe a partir de julho. Subida pode atingir três euros

A subida deve-se a um aumento do preço grossista no mercado ibérico. Para os consumidores com uma potência contratada de 3,45 kVA, a atualização representa mais 1,05 euros na fatura média mensal. No caso dos consumidores com uma potência de 6,9 KVA a subida pode atingir os 2,86 euros.

Banco de Espanha revê em alta previsão de crescimento do país para 6,2% em 2021

A instituição publicou esta segunda-feira o seu relatório trimestral sobre a economia espanhola no qual indica que a melhor evolução da economia está ligada à menor incidência da pandemia de covid-19, ao progresso da vacinação e a uma maior absorção dos fundos europeus.

Von der Leyen: Certificado Covid-19 aprovado num recorde de 62 dias (com áudio)

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, saudou hoje os responsáveis da presidência portuguesa da União Europeia (UE), Parlamento Europeu (PE) e executivo comunitário por terem conseguido aprovar o certificado digital covid-19 num recorde de 62 dias.
Comentários