Santander conclui integração dos clientes do antigo Banco Popular

A operação envolveu mais de mil pessoas e permitiu a integração de toda a atividade relacionada com os clientes vindos do extinto Banco Popular.

O Banco Santander concluiu a integração tecnológica da rede de clientes do ex-Banco Popular Portugal na sua rede, durante o fim de semana, fez saber a entidade em comunicado, esta terça-feira, 16 de outubro.

“O plano traçado para a migração nas várias vertentes correu como esperado, não se tendo registado desvios face à estratégia definida”, afirmou o Santander. A operação envolveu mais de mil pessoas e permitiu a integração de toda a atividade relacionada com os clientes vindos do extinto Banco Popular.

A partir de segunda-feira deixou de existir “qualquer distinção operativa entre clientes, e todos os serviços passam a ser assegurados através dos sistemas Sanander, numa integração plena dos dois universos.

O Santander concluiu a compra do Popular em junho deste ano, por apenas um euro, numa altura em que o Banco Popular estava a desvalorizar abruptamente correndo o risco de falir – Bruxelas pressionou para a concretização da aquisição. No mês seguinte, os clientes do Popular foram informados sobre os seus novos dados bancários, como o NIB e restantes acessos a plataformas online do Santander.

A integração dos dados dos clientes do extinto Popular na rede do Santander começou a ser executada em abril deste ano. “Todas as áreas do Banco estiveram envolvidas nesta operação, num universo de mais de 2000 linhas de atividades, tendo-se registado um número pouco significativo de referências de indisponibilidade ao longo do período de migração”, lê-se no comunicado do Santander.

Relacionadas

Standard & Poor’s reafirma ratings do Santander Totta e mantém perspetiva positiva

A agência Standard & Poor’s (S&P) reafirmou hoje os ratings do Santander Totta, em BBB- na dívida de longo prazo e em A-3 na dívida de curto prazo, dentro do grau de investimento.

Santander Totta duplica quota de mercado do crédito a empresas em 5 anos

O Santander Totta já cresceu a sua quota de mercado no crédito a empresas de 8% para 19,7%. Isto num prazo de cinco anos.
Recomendadas

Bankinter e COSEC assinam protocolo de distribuição de seguro de créditos

O objetivo é permitir às empresas a gestão do risco de crédito em condições mais seguras, cobrindo os prejuízos decorrentes do não pagamento das vendas a crédito de bens e serviços em Portugal e no estrangeiro.

BdP: empréstimos às empresas cresceram em outubro

Já quanto aos empréstimos a particulares, o BdP diz ter registado uma variação de 6,9% em outubro, quando em setembro registara uma taxa de variação de 7,2%.

BCE mantém as exigências de capital ao BPI para 2020

Aí estão os requisitos de capital que o BCE impõe ao BPI para 2020 em função da qualidade do seu balanço. Estes requisitos implicam que o patamar mínimo de CET1 a partir do qual o Banco BPI teria restrições, em 2020, às distribuições de dividendos, é de 9.38%. O BPI tem um rácio de capital core de 12,7% a 30 de setembro deste ano.
Comentários