Santander conclui integração dos clientes do antigo Banco Popular

A operação envolveu mais de mil pessoas e permitiu a integração de toda a atividade relacionada com os clientes vindos do extinto Banco Popular.

O Banco Santander concluiu a integração tecnológica da rede de clientes do ex-Banco Popular Portugal na sua rede, durante o fim de semana, fez saber a entidade em comunicado, esta terça-feira, 16 de outubro.

“O plano traçado para a migração nas várias vertentes correu como esperado, não se tendo registado desvios face à estratégia definida”, afirmou o Santander. A operação envolveu mais de mil pessoas e permitiu a integração de toda a atividade relacionada com os clientes vindos do extinto Banco Popular.

A partir de segunda-feira deixou de existir “qualquer distinção operativa entre clientes, e todos os serviços passam a ser assegurados através dos sistemas Sanander, numa integração plena dos dois universos.

O Santander concluiu a compra do Popular em junho deste ano, por apenas um euro, numa altura em que o Banco Popular estava a desvalorizar abruptamente correndo o risco de falir – Bruxelas pressionou para a concretização da aquisição. No mês seguinte, os clientes do Popular foram informados sobre os seus novos dados bancários, como o NIB e restantes acessos a plataformas online do Santander.

A integração dos dados dos clientes do extinto Popular na rede do Santander começou a ser executada em abril deste ano. “Todas as áreas do Banco estiveram envolvidas nesta operação, num universo de mais de 2000 linhas de atividades, tendo-se registado um número pouco significativo de referências de indisponibilidade ao longo do período de migração”, lê-se no comunicado do Santander.

Relacionadas

Standard & Poor’s reafirma ratings do Santander Totta e mantém perspetiva positiva

A agência Standard & Poor’s (S&P) reafirmou hoje os ratings do Santander Totta, em BBB- na dívida de longo prazo e em A-3 na dívida de curto prazo, dentro do grau de investimento.

Santander Totta duplica quota de mercado do crédito a empresas em 5 anos

O Santander Totta já cresceu a sua quota de mercado no crédito a empresas de 8% para 19,7%. Isto num prazo de cinco anos.
Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Novo Banco quer vender 1.200 milhões de euros em créditos problemáticos até fim do ano

O Novo Banco quer vender 1.200 milhões de euros em crédito malparado até ao final do ano, segundo disse o presidente executivo, António Ramalho, à agência de informação financeira Bloomberg.
Comentários