Santander continua a liderar reclamações da CMVM

Santander é o banco mais reclamado pelos investidores, segundo a CMVM. Mas o que mais aumentou o número de reclamações foi o BPI.

Cristina Bernardo

O Banco Santander Totta continua a liderar em número de reclamações recebidas em 2018. Como banco mais reclamado do ano contou com 80 reclamações, o que traduz-se, ainda assim, numa queda de 32,8% face a 2017.

Segue-se na lista dos mais reclamados o BCP com 58 reclamações, mas também menos 54% do que em 2017. Já em terceiro lugar surge o Novo Banco com 50 reclamações (-35,1% face a 2017).

O BPI aparece em quarto lugar com 45 reclamações. É no entanto o que mais sobe em número de reclamações. Teve mais 32,4% que em 2017.

A restante lista é composta pelo Bankinter com 27 reclamações em 2018, mais 92,9% do que em 2017.

Segue-se o Deutsche Bank, sucursal em Portugal, com 26 queixas dos clientes, ainda assim menos 31,6% do que no ano anterior.

O Best, banco online do Novo Banco, e o Banif surgem com 15 reclamações cada, menos 75% e 97,4%, respetivamente.

O Banco Montepio teve 11 reclamações em 2018, menos 69,4% do que em 2017.

Com oito reclamações surge o ActivoBank, menos 33,3% que em 2017.  Com seis reclamações surge o Barclays Bank, sucursal em Portugal, e com 5 reclamações cada estão os Banco Invest; BBVA e BIC.

A Orey Financial e o Santander Totta Seguros seguem-se com quatro reclamações cada.

A Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) recebeu 462 reclamações em 2018, o que representou uma diminuição de 67% (menos 922 reclamações) face ao ano anterior. Estas 462 novas reclamações de investidores foram apresentadas contra 49 intermediários financeiros.

Ler mais
Recomendadas

Lucros de seis bancos em Angola afundam 28% no primeiro semestre

A crise que se instalou neste país africano obrigou as instituições bancárias a procurem alternativas de negócios que os permitisse maximizar os seus resultados

Valor gerido por fundos de investimento imobiliário cai 26 milhões de euros em julho

A Interfundos (13,1%), a Norfin (10,4%) e a Square AM (10,3%) detinham as quotas de mercado mais elevadas em julho.

Bundesbank alerta que economia alemã pode estar a entrar em recessão

O Bundesbank, banco central alemão, alertou esta segunda-feira que a economia alemã, a maior da Europa, pode estar a recuar durante os meses de verão, depois da contração já registada no segundo trimestre, aumentando a possibilidade de entrar em recessão.
Comentários