Santander disponibiliza pagamentos por ‘smartwatch’

O Santander pretende ser a melhor plataforma aberta de serviços financeiros e, nesse sentido, tem vindo a acelerar a transformação digital.

Balcão Santander

Os clientes do Santander já podem fazer pagamentos por smartwatch, através do dispositivo Garmin Pay, dispondo, assim, de uma nova solução de pagamento contactless, anunciou o banco, em comunicado.

A funcionalidade pode ser utilizada para pagar em qualquer terminal de pagamento com tecnologia contactless, sem ser necessário ter consigo um cartão bancário ou o telemóvel. Basta associar um cartão Mastercard ao relógio para ativar os pagamentos e pagar apenas aproximando o pulso do terminal de pagamento, explica a instituição bancária.

O Santander é o primeiro banco com ligação a este tipo de suporte em Portugal. O banco pretende ser “a melhor plataforma aberta de serviços financeiros e, nesse sentido, tem vindo a acelerar a transformação digital, criando soluções simples e inovadoras, que melhorem a experiência do cliente”, admite o banco.

“Com esta novidade, os utilizadores passam a usufruir, de uma forma mais completa, de todas as potencialidades de um smartwatch, algumas das quais ligadas a um estilo de vida mais saudável. Além disso, têm ao dispor um método de pagamento rápido e seguro, em qualquer lugar onde estejam”, refere a mesma nota.

Relacionadas

Pagar com pulseiras ou relógios. Santander vai lançar novas soluções digitais

O banco irá disponibilizar, por exemplo, um “Cartão Imediato” que fica disponível para utilização direta na aplicação móvel (para compras online, transferências MB Way e pagamentos contactless e código QR).
Recomendadas

Responsabilidades do BES para com o Fundo de Pensões dos administradores vão ser extintas

A ASF autorizou a extinção das responsabilidades com pensões do ex-administradores executivos do BES.

BES e ESFG em disputa judicial pela ES Health Care Investment

A ESFG e o BES arrastam um processo judicial de disputa pela participação de 17,74% na Espírito Santo Health Care Investment e os dividendos que esta distribuiu ao BES no valor de 9,23 milhões. Mais recentemente a ESFG impugnou a lista de credores reconhecidos pelo BES, junto do Tribunal do Comércio, por não estar lá reconhecido o seu direito a esses ativos, o que o BES ainda vai contestar.

Grupo BFF com 40,2 milhões de lucro ajustado. Negócio em Portugal cresceu 51%

Grupo italiano BFF tinha 121 milhões em créditos a receber em Portugal até junho.
Comentários