Schäuble lança alertas sobre reformas dos planos de recuperação europeus

O ex-ministro das Finanças de Angela Merkel diz-se preocupado com a capacidade do Fundo de Recuperação concretizar a missão de recuperar a economia europeia.

O ex-ministro das Finanças da Alemanha e atual presidente do Bundestag, Wolfang Schäuble, mostra-se pouco confiante na capacidade dos Estados-membros executarem os programas de reformas que serão associadas aos planos de recuperação, podendo colocar assim em causa a capacidade do Fundo de Recuperação concretizar a missão de recuperar a economia europeia.

“Há uma falta de progresso real, uma falta de eficiência na execução [dos programas de reformas] nos Estados-membros”, disse, em entrevista ao Financial Times, publicada esta terça-feira, acrescentando que “estas dificuldades preocupam-me”.

Para Wolfang Schäuble a União Europeia demorou demasiado tempo centrada na dimensão e distribuição do Fundo de Recuperação, ao invés de discutir como “gastá-lo”.

“Devíamos ter definido há muito tempo em que áreas os Estados-membros deveriam investir esses fundos – inteligência artificial, digitalização, políticas de combate às alterações climáticas”, disse. “Espero que o possamos fazer mais rapidamente”, realçou.

Ao Financial Times, o ex-ministro alemão revelou-se ainda preocupado no controlo de como os Estados-membros irá executar as verbas, bem como com a possibilidade dos planos de alguns países não serem suficientemente ambiciosos.

“Sabemos muito bem quais são os passos urgentes que cada país deve dar para tornar a economia europeia mais forte, mais inovadora, dinâmica e capaz de competir globalmente”, vincou.

Ler mais

Recomendadas

PremiumPoupança continua “muito abaixo” da média da zona euro

Deco alerta: não existe reforço em produtos de aforro. Aumento da poupança para máximos históricos resulta da diminuição do consumo.

PremiumCCP pede a Siza apoios para mais de 100 associações

Com o pagamento de quotas associativas penalizado pelas dificudades de tesouraria, CCP reclama ao Governo apoios a associações empresariais.

PremiumPRR mais para Estado do que para empresas domina preocupações

Maioria dos membros da Associação Cristã de Empresários e Gestores aceita desconfinamento só depois da Páscoa, mas criticam apoios disponibilizados.
Comentários