Secretaria da Agricultura nega impedimentos ao associativismo na GESBA denunciados pelo PS Madeira

A Secretaria Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural diz que as críticas “são facilmente rebatidas” com o crescimento sustentado da produção de banana, que em 2009 era de cerca de 13 mil toneladas e que em 2020 ascendeu as 21 mil toneladas. “Um aumento de 54% que é revelador da confiança que os produtores têm no sector e que contraria a ideia avançada de bloqueios”, defendeu a Secretaria Regional.

A Secretaria Regional da Agricultura negou que exista impedimento ao associativismo na Empresa de Gestão do Sector da Banana (GESBA), como foi denunciado por Paulo Cafôfo, presidente do PS Madeira.

“Ninguém está contra a GESBA. O que estamos contra é que os agricultores não possam, se quiserem, não estar dependentes da GESBA e formarem eles próprios a sua associação. Nós não queremos que o Governo ponha a mão em tudo. O que queremos é o contrário, é que o investimento público e as políticas públicas agrícolas possam servir para incentivar a atividade e atrair gente para a agricultura de uma forma rentável”, afirmou Cafôfo.

Em resposta a Secretaria Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural clarifica que estas críticas “são facilmente rebatidas” com o crescimento sustentado da produção de banana, que em 2009 era de cerca de 13 mil toneladas e que em 2020 ascendeu as 21 mil toneladas.

“Um aumento de 54% que é revelador da confiança que os produtores têm no sector e que contraria a ideia avançada de bloqueios”, defendeu a Secretaria Regional.

Recomendadas

Madeira: Bloco de Esquerda apenas concorre ao concelho do Funchal inserido na Coligação Confiança nas eleições autárquicas

Dina Letra destacou que apesar do “curtíssimo espaço de tempo que tivemos para concluir todo um processo que leva meses de preparação e em que nada estava feito, a Comissão Política Regional, eleita há dois meses, envidou todos os esforços para tentar cumprir este objetivo”.

Madeira: PAN compreende decisão de abater árvores no Largo da Fonte face à “ansiedade vivida” pelos habitantes

O partido considerou que em paralelo com o abate de árvores no Largo da Fonte, “devem ser plantadas novas árvores que devolvam a envolvente ao largo, mas já sem problemas de segurança”.

CDU denuncia “falsas promessas” da Câmara do Funchal e da Junta de Freguesia do Imaculado Coração de Maria

O partido alerta que a promessas que “nunca foram concretizadas” pelos governantes “aumentam as desigualdades e injustiças sociais”.
Comentários