Seis startups e IPSS vencem prémios “Mais Ajuda”

Pixelability – Happies, Speak e The Inventors foram as empresas escolhidas. Quanto às instituições de solidariedade social, conquistaram o júri os projetos da Acreditar, Associação Portuguesa de Crianças Desaparecidas e Associação de Socorros Mútuos Mutualista Covilhanense.

Já são conhecidas as seis startups e IPPS (Instituições Particulares de Solidariedade Social) vencedoras do programa de empreendedorismo de impacto “Mais Ajuda”. O evento de divulgação dos premiados, três de cada categoria, aconteceu esta quinta-feira numa emissão da rádio Renascença que contou com a participação da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

No âmbito desta iniciativa, cada um dos projetos recebe 22.500 euros para implementar a sua proposta de apoio à sociedade e mentoria por parte da consultora de inovação Beta-i.  Ao longo de seis meses terão workshops e apoio de gestão, aceleração do negócio e monitorização do impacto social do projeto. O Lidl acrescenta 15 mil euros para a posterior realização de um business hackathon para as IPSS escolhidas.

Startups

  • Pixelability – Happies (Porto)

Visa transformar a forma como os terapeutas e técnicos de saúde utilizam as ferramentas digitais, em contexto terapêutico. Atua atualmente sobretudo na área de terapia da fala. A utilização desta ferramenta por um cuidador ou profissional de educação/saúde iria permitir um rastreio precoce e a uma prevenção de dificuldades articulatórias e fonológicas.

Inovação: Num muito curto espaço de tempo, foi possível criar uma rede com mais de 700 terapeutas da fala espalhados por Portugal e nos PALOP, fulcral para a criação de uma aplicação móvel para rastreio de articulação dos sons da fala. Este software inovador permitirá aumentar drasticamente o número de escolas primárias portuguesas, centros de saúde e hospitais, que efetuam este tipo de testes aos seus alunos e utentes.

  • Speak (Leiria)

É uma plataforma online desenvolvida para juntar pessoas migrantes, refugiadas e locais a viver na mesma cidade. As pessoas inscrevem-se para aprender e/ou para ajudar outros a aprender uma língua, mediante posterior experiência presencial.

Inovação: Os participantes juntam-se ao Speak motivados em ensinar a sua língua/cultura ou motivados em aprender uma língua/cultura. Nessa experiência comunicam, quebram preconceitos, estigmas e criam amizades, construindo uma rede informal de apoio, que facilita a resolução dos seus próprios problemas.

  • The Inventors (Setúbal)

Tem como missão inspirar uma nova geração de “inventores”. Criou programas educativos para crianças entre os quatro e os doze anos, permitindo que estas desenvolvam a sua autoconfiança, curiosidade e competências tecnológicas. Tem a ambição de transformar as perspetivas e desenvolver competências, tecnológicas e intangíveis, em todas as crianças que passam pelo sistema educativo.

Inovação: As atividades Steam implementadas têm um apelo transversal e não se cingem apenas à programação ou robótica – tornam-se mais inclusivas, para crianças com interesses diversos, fazendo com que a taxa de participação feminina seja mais elevada que o habitual (perto de 40%). São as atividades mais criativas e únicas no mercado, assentes em conceitos como “Cria a tua própria guitarra elétrica’, ‘cria um piano eletrónico’ ou ‘inventa um robô pintor’.

IPSS

  • Acreditar – Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro (Lisboa)

Nome do projeto: “Aprender Mais”

Tem como objetivo assegurar a continuidade do processo educativo e o consequente desenvolvimento social e emocional de crianças e jovens com cancro, que tiveram de interromper, por longos períodos, a frequência na escola. Estas são crianças dependentes de professores, educadores de infância, psicólogos e/ou terapeutas voluntários, que assegurem um apoio escolar e atividades lúdico-pedagógicas na casa da família ou via Skype.

Inovação: São utilizadas aplicações e programas que permitem apoiar à distância. A tecnologia permite também tornar as sessões mais apelativas e interessantes para as crianças e jovens. Para poder sensibilizar crianças e jovens de todo o país para o cancro infantil pretende utilizar vídeos de influenciadores dessa faixa etária produzidos para esse efeito.

  • Associação Portuguesa de Crianças Desaparecidas (Lisboa)

Nome do projeto: “CAAM (Centro de Atendimento de Alertas Móveis – CAAM)”

Funciona como uma rede de proteção de crianças, incluindo as deficientes visuais e motoras, e caracteriza-se pela ligação dos seus telemóveis, através de uma aplicação de georreferência, ao centro. A rapidez no procedimento de participação de um desaparecimento visa revolucionar a forma como irão passar a ser tratados estes casos.

Inovação: O carácter inovador reside na inexistência em Portugal de uma aplicação móvel georeferencial que se destine a otimizar a busca e localização rápida de uma criança desaparecida. Além disso, a aplicação terá como suporte o Comando de Operações da GNR e um centro de atendimento para alertas móveis que estará sediado na instituição, onde será prestado apoio psicológico, social e jurídico às vítimas ou famílias desde a primeira hora do desaparecimento. A solução é tecnologicamente inovadora e única no país.

  • Associação de Socorros Mútuos Mutualista Covilhanense (Castelo Branco)

Nome do projeto: “Mutualista com as Crianças”

Direcionado para o público escolar das zonas rurais e isoladas do concelho da Covilhã, este projeto pretende promover as competências sociais e educativas das crianças, garantindo a equidade e o combate à exclusão social mediante parcerias entre as várias entidades que intervêm nos espaços educativos. O objetivo é garantir uma aprendizagem mais interativa, não sequencial, com recursos pedagógicos apelativos e criativos em duas áreas de intervenção: a Saúde Infantil e o Ambiente. Este será acoplado ao projeto da Unidade Móvel de Saúde, que funciona com uma equipa multiprofissional, motivada e com qualidade empreendedora e contará com a parcerias com a Faculdade de Ciências da Saúde e com os núcleos de estudantes de medicina (MedUBI) e de Ciências Farmacêuticas (UBIPharma).

Inovação: Na vertente ambiental, o projeto pretende testar e validar uma aplicação informática: o “Clean Word”. Assume-se como uma ferramenta educativa sob a forma de videojogo de aventura em 3D, para computador, que poderá também estar disponível para consolas e dispositivos móveis. A inexistência em zonas rurais de ações e medidas de carácter educativo, na vertente da Saúde Infantil e do Ambiente, tornam este projeto pioneiro e inovador.

Ler mais
Recomendadas

Lidl investe um milhão de euros em postos de carregamento para elétricos

Desde 2016 que há três postos de carregamento em lojas Lidl, mas este número vai subir para os 41.

CTT reorganizaram canais de apoio ao cliente

Operadora postal criou duas novas linhas de apoio ao cliente, uma para clientes particulares e outra para empresas-clientes, e reformulou a Linha de Apoio ao Cliente Payshop, renomeando-a de Linha de Serviços de Pagamento, destinada para informações sobre payshop e cobrança de portagens.

CTT lançam desafio tecnológico para startups e programadores

Universitários, empreendedores, empresas de grande dimensão e outras organizações são desafiados a criar uma aplicação móvel que seja capaz de ler todas as informações do código que vem nas cartas/encomendas com uma câmara. Em ‘jogo’ está um prémio de 8 mil euros.
Comentários