“Sem Montijo, Portela não cresce”, garante responsável da easyJet Portugal

De acordo com José Lopes, esta interdependência tem a ver com “o espaço aéreo da capital, é um projeto integrado de crescimento”.

“Sem Montijo, a Portela não cresce”, garantiu José Lopes, diretor da easyJet para Portugal, na conferência de imprensa de apresentação dos resultados anuais da companhia aérea referentes ao exercício fiscal que terminou no final de setembro passado.

De acordo com este responsável, esta interdependência tem a ver com “o espaço aéreo da capital, é um projeto integrado de crescimento”.

Sobre a possibilidade de a easyJet se transferir da Portela para o Montijo, o responsável da companhia aérea para o nosso país foi claro: “em termos de rede, a easyJet é a companhia aérea que mais aeroportos do ‘top 100’ opera, é um modelo de negócio bem conhecido, que apresenta resultados e que opera em aeroportos principais”.

Sem se querer alongar, neste momento, sobre a questão do aeroporto previsto para o Montijo, José Lopes sublinhou que “o importante é que possamos crescer em Portugal e que sejam criadas condições para crescer o mais rapidamente possível”.

O diretor geral da easyJet Portugal reconheceu que o aeroporto Humberto Delgado, onde a ‘low cost’ tem uma base sedeada, tem sofrido vários constrangimentos nos últimos anos.

“Temos estado apenas a crescer com o aumento do tamanho do avião, o ‘upgauging’, e no inverno, onde temos aproveitado algumas faixas horárias ainda disponíveis. No verão, não tem havido ‘slots’ disponíveis na Portela”, revela este responsável.

 

Ler mais
Recomendadas

Seguradora Fidelidade entra no mercado chileno

Com esta entrada no Chilea Fidelidade vai também apostar em alianças com parceiros estratégicos locais, alavancadas numa rede ampla de corretores e grandes retalhistas e de bancassurance, apostando numa qualidade de serviço superior com o objetivo de proporcionar o melhor serviço aos clientes.

PAN pede campanha informativa sobre 5G em Matosinhos

Matosinhos tem uma Zonal Livre Tecnológica, promovida pelo CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento, da qual faz parte a NOS. A operadora usa a zona para testar 5G e em outubro anunciou ter coberto “integralmente” com a nova tecnologia móvel. Agora o PAN pede palestras, conferências e debates por toda a cidade para explicar o que é o 5G.

PremiumPropostas não vinculativas pela Brisa são esperadas até 19 de dezembro

O grupo José de Mello e o fundo Arcus, que controlam a maioria do capital, colocaram à venda 80% da empresa (40% cada um).
Comentários