Sérgio Moro responde a Sócrates: “Não debato com criminosos pela televisão”

Sócrates acusou o juiz responsável pela Operação Lava Jato de só ser “ministro de Bolsonaro porque meteu Lula da Silva na cadeia”. Por sua vez, Sérgio Moro acusou o antigo primeiro-ministro português de ser um criminoso.

Antonio Lacerda / EPA

José Sócrates acusou Sérgio Moro de ser um “um ativista político disfarçado de juiz”. Em resposta, o juiz brasileiro declarou que não debate “com criminosos pela televisão.

O atual ministro da Justiça do Governo brasileiro de Jair Bolsonaro e responsável pela Operação Lava Jato respondeu desta forma ao antigo primeiro-ministro português envolvido na Operação Marquês por corrupção.

“Em relação à pessoa em particular, eu não debato com criminosos pela televisão. Então não vou fazer mais comentários”, disse Sérgio Moro à TV Record Europa, citado pela TVI24.

“Em todo o lugar do mundo é difícil lidar com esses crimes de grande corrupção, envolvem pessoas poderosas”, destacou o ministro na mesma entrevista.

“O sistema está preparado para outro tipo de criminalidade, mas todos os países precisam de avançar nessa área e enfrentar a grande corrupção”, defendeu Sérgio Moro

Numa entrevista à TVI na segunda-feira, 23 de abril, José Sócrates voltou a atacar o juiz da Operação Lava Jato.

“Um ministro que abusou das suas condições de juiz para favorecer a agenda politica. Capaz de validar escutas ilegais, capaz de prender contra a Constituição. Um ministro que apresentou um pacote anti-crime que viola o direito internacional. Só é ministro de Bolsonaro porque meteu Lula da Silva na cadeia”, afirmou José Sócrates.

Sócrates considera ministro brasileiro Moro “um ativista político disfarçado de juiz”

Ler mais
Recomendadas

Associação Berardo vai contestar arresto de obras de arte na próxima segunda-feira

A Associação Coleção Berardo “vai ser ouvida em tribunal e, nessa altura, será o juiz a decidir se o arresto será levantado ou é mantido”, disse a mesma fonte sobre este processo interposto pelo Novo Banco, CGD e BCP, para recuperar uma dívida superior a 962 milhões de euros.

Worten apresenta queixa na PJ devido a SMS fraudulentos em seu nome

Recebeu um SMS em nome da Worten? Cuidado que pode ser fraudulento. Retalhista portuguesa alerta clientes que não devem facultar dados pessoais e já apresentou queixa à PJ.

Ministério Público quer Rui Rangel fora da Operação Marquês

Conselho Superior de Magistratura, que garantiu a existência de “mecanismos legais para assegurar a independência e a imparcialidade das decisões judiciais” e desafiou as entidades competentes a salvaguardar “a transparência e o bom funcionamento da Justiça”.
Comentários