Sesimbra: dominado fogo na encosta do castelo

O incêndio, segundo revelou à Lusa esta tarde fonte do Comando Territorial de Setúbal da GNR, obrigou à retirada de “cerca de 50 pessoas” que se encontravam “a visitar” o castelo, as quais foram transportadas para “local seguro”.

O incêndio que deflagrou hoje à tarde na encosta do castelo de Sesimbra (Setúbal) já se encontra dominado, desde as 18:30, tendo queimado mato, mas sem causar danos materiais ou vítimas, revelou a Proteção Civil.

“O incêndio encontra-se dominado, desde as 18:30, e não existem vítimas, nem danos materiais. Só queimou mato”, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal.

O fogo começou na Rua da Assenta, na encosta do castelo e, questionada pela Lusa sobre a alegada pluma de cinzas e o fumo que terá provocado sobre Sesimbra, a fonte do CDOS considerou a situação “normal”.

“Todos os fogos criam fumo e é normal que crie aquela pluma, o castelo é mesmo encostado a Sesimbra”, disse.

O incêndio, segundo revelou à Lusa esta tarde fonte do Comando Territorial de Setúbal da GNR, obrigou à retirada de “cerca de 50 pessoas” que se encontravam “a visitar” o castelo, as quais foram transportadas para “local seguro”.

De acordo com a mesma fonte, quando as chamas eclodiram “na zona envolvente ao castelo” encontravam-se nas instalações “cerca de 50 pessoas e entre 25 a 30 veículos”.

“Tenho a informação de que tanto as pessoas como os veículos já foram retirados, de forma progressiva, para evitar a confusão”, e foram, “calmamente, transportados para um local seguro”, disse.

Dessas pessoas retiradas do interior do castelo pela GNR, “ninguém apresentava ferimentos”, assinalou a mesma fonte da guarda.

As operações de combate ao incêndio mobilizavam, por volta das 19:00, 92 operacionais, apoiados por 27 veículos terrestres e um meio aéreo (um helicóptero), revelou a fonte do CDOS.

Ler mais
Recomendadas

Movimento cívico alerta para consequências da exploração de lítio na Serra d’Arga

A ação, promovida pelo Movimento de Defesa do Ambiente e Património do Alto Minho, pretende sensibilizar para a “calamidade da exploração mineira massiva” na serra d’Arga e “parar” um projeto que “põe em causa 20%” daquele território.
greve_motoristas_materias_perigosas_camionistas_3

Fisco suaviza regras da tributação autónoma das ajudas de custo pagas por transportadoras

Numa informação vinculativa agora publicada, a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) precisa que “sendo tais gastos [as ajudas de custo] efetivamente faturados aos clientes (ainda que por inclusão no montante total debitado) não ficam sujeitos à tributação autónoma”, prevista no Código do IRC.

Aluguer de quartos: preços médios sobem mas procura não se ressente

“Este estudo aponta uma tendência clara: apesar da notória subida do preço médio dos quartos para arrendar, a procura não parece ressentir-se. Antes pelo contrário”, sublinha Andreia Pacheco, brand manager do OLX Portugal.
Comentários