Siemens Portugal vai contratar mais de 100 trabalhadores para reforçar produção no Seixal

A contratação de novos trabalhadores tem como objetivo potenciar um aumento da capacidade de produção da fábrica de Corroios, que produz quadros elétricos industriais da multinacional alemã, que têm vindo a ser exportados de Portugal para os cinco continentes.

A Siemens Portugal vai anunciar esta quinta-feira a contratação de mais 102 pessoas para a unidade fabril que detém em Corroios, no concelho do Seixal. A contratação de novos trabalhadores tem como objetivo potenciar um aumento da capacidade de produção de quadros elétricos industriais da multinacional alemã, que têm vindo a ser exportados de Portugal para os cinco continentes.

O anúncio vai ser feito numa visita à fábrica de Corroios, agendada para as 15h30 e que deve contar com a presença do ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, e do presidente-executivo da Siemens Portugal, Pedro Pires de Miranda. A intenção é que a capacidade da unidade fabril de Corroios seja aumentada em 60%.

A fábrica de Corroios produz autalmente quadros elétricos modulares de média tensão do modelo Simosec, cuja produção foi transferida de Frankfurt para o concelho de Seixal. Estes quadros depois usados pelas empresas de infraestruturas e na área da distribuição de energia pelas pequenas e médias unidades industriais.

A Siemens já chegou a exportar 95% da produção da fábrica de Corroios para mercados como a Alemanha, Angola, África do Sul, Austrália, Brasil, Coreia do Sul, Egito, Emirados Árabes Unidos e México.

A Siemens Portugal encerrou o ano fiscal de 2018, de outubro de 2017 a final de setembro de 2018, com um resultado líquido de 33,7 milhões de euros. O valor representa um crescimento de 120,6% face ao ano anterior, com as vendas a registem um aumento de 6,6% para 319 milhões de euros.

No que toca às exportações, a Siemens Portugal registou um aumento crescimento de 4,6% para 122,8 milhões de euros, tendo exportado para 56 países. As exportações feitas incidiram sobre áreas como IoT, aplicações cloud, big data, análise de dados, cibersegurança, finanças, recursos humanos e imobiliário. A fábrica de Corroios contribuiu para as exportações da filial portuguesa, exportando 85% dos quadros elétricos que produziu.

Ler mais
Recomendadas

AHRESP: Setor de alojamento turístico com quebras na taxa de ocupação de mais 90%

A conclusão vem no inquérito mensal da AHRESP. Cerca de 36% das empresas refere ter registado uma quebra homóloga superior a 90% na taxa de ocupação.

Há mais interessados na compra da Efacec, segundo o Ministro da Economia

“Tivemos já novas manifestações de interesse além daquelas entidades que apresentaram propostas no processo que anteriormente estava em curso”, disse à Lusa Pedro Siza Vieira no ministério da Economia e da Transição Digital, em Lisboa.

AHRESP: Cerca de 60% dos clubes noturnos pondera declarar insolvência

“Resultados verdadeiramente alarmantes”, avança a AHRESP no último inquérito mental. No setor da restauração e bebidas, 43% das sociedades pretende requerer a este fim, dado que a a esmagadora maioria refere que não irá conseguir suportar os encargos habituais apartir do mês de agosto.
Comentários