Singapura regista as duas primeiras mortes por Covid-19

Singapura registou as duas primeiras mortes por Covid-19, após ser o primeiro país do sudeste asiático a detetar os primeiros casos no início de janeiro e impor as medidas para contê-lo, anunciou hoje o Ministério da Saúde.

As vítimas, um homem de Singapura de 75 anos e um indonésio de 64 anos, morreram esta manhã na Unidade de Cuidados Intensivos do Centro Nacional de Doenças Infeciosas, onde tinham sido internados em 23 de fevereiro e 13 de março. respetivamente, de acordo com um comunicado do Ministério da Saúde.

A cidade-estado com 5,6 milhões de habitantes registou 385 casos de Covid-19 até hoje, dos quais 190 são importados, incluindo um residente espanhol de 22 anos que tinha regressado de uma viagem a Espanha em 13 de março, segundo a agência espanhola Efe.

De acordo com um estudo da Universidade de Harvard, a capacidade de Singapura de detetar casos de infeção pelo novo coronavírus é até três vezes maior do que a dos outros países do mundo, graças ao seu sofisticado sistema de vigilância epidemiológica.

O país foi um dos primeiros a implantar controles para detetar o novo coronavírus e fechar fronteiras para viajantes da China, exceto para os nacionais ou estrangeiros com residência em Singapura.

Mais tarde, aplicou as mesmas restrições a viajantes de Espanha, França, Alemanha, Itália, Irão e Coreia do Sul.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, infetou mais de 265 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 11.100 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 90.500 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 182 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, com Itália a ser o país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 4.032 mortos (mais 627 que na quinta-feira) em 47.021 casos.

Ler mais
Recomendadas

Infografia | Lisboa e Vale do Tejo a ‘vermelho’. Concelhos de Lisboa e Sintra somam 77 infetados nas últimas 24 horas

Números revelados pelo último boletim epidemiológico Direção-Geral de Saúde mostram que a região de Lisboa e Vale do Tejo continua a liderar largamente os dados das novas infeções, sendo responsável por 90% dos infetados diários a nível nacional. Por concelhos, Lisboa e Sintra é onde se regista um maior crescimento do número de infetados por Covid-19.

Ministra admite que a precariedade na Cultura está “mais visível” mas sem solução “em dois meses”

Segundo a ministra, o Governo está “a trabalhar” e assumiu “o compromisso de, ao longo deste ano, resolver as questões laborais, de carreiras contributivas” ou “de descontos” destes profissionais, entre outras matérias.

Lisboa e Vale do Tejo com 90% dos novos casos

Os 382 novos casos reportados estão distribuídos regionalmente da seguinte forma: Lisboa e Vale do Tejo 345, Norte 21, Centro 10, Alentejo três, Algarve dois e Açores um. A Região Autónoma da Madeira não registou novas infeções nas últimas 24 horas.
Comentários