Singularity Digital Enterprise colabora na base de dados digital da Fundação José Neves

O trabalho desta empresa portuguesa para a ferramenta de informação “Brighter Future” consistiu na análise de mais de 200 milhões de registos provenientes de mais de 2.500 fontes de dados diferentes.

A empresa portuguesa Singularity Digital Enterprise (DE) foi selecionada para desenvolver a visualização, modelação e exploração de dados do projeto tecnológico-estatístico “Brighter Future”, da Fundação José Neves (FJN). O trabalho dos especialistas da Singularity DE consistiu, por exemplo, na análise de mais de 200 milhões de registos provenientes de mais de 2 500 fontes de dados diferentes para criar a biblioteca digital sobre conhecimento, educação, emprego e competências em Portugal.

Mais do que uma base de dados, trata-se de uma ferramenta digital que disponibiliza informação credível sobre cursos/formação e emprego, relacionando-a entre si. Ou seja, apresenta perspetivas de empregabilidade com associação a um determinado trabalho, através de machine learning, com o propósito de criar valor científico e pessoal para estudantes, trabalhadores, patrões, instituições de ensino e outros decisores institucionais.

O projeto criado pelo fundador e CEO da Farfetch, que doou dois terços da sua fortuna para esta fundação, é pioneiro em Portugal desta natureza e envolveu parceiros académicos, como Universidade do Minho e a Universidade de Aveiro, bem como a consultora tecnológica AskBlue e o Instituto Nacional de Estatística.

Dedicada ao desenvolvimento e comercialização de produtos e serviços nas áreas da ciência de dados, IA e machine learning, a equipa da Singularity DE desenvolveu o seu trabalho recorrendo a metodologias, técnicas de visualização avançada e ferramentas de design thinking, e simultaneamente utilizou mecanismos de transformação de dados suportada por ferramentas de Big Data da Microsoft.

“Num futuro que se antevê cada vez mais digital e veloz é crucial criar plataformas de partilha de informação relevante e que sejam facilmente acessíveis para permitir aos cidadãos tomarem decisões de forma célere e informada sobre o seu futuro”, afirma Carlos Oliveira, presidente executivo da FJN.

O CEO da Singularity DE considerou esta iniciativa ainda mais “importante” pelo contributo para o desenvolvimento do país “Conseguimos desenvolver os visuais e os relatórios de uma forma muito intuitiva e de fácil utilização que permite aos utilizadores chegarem aos indicadores inovadores para o mercado de trabalho em Portugal. Sinto que contribuímos para uma solução que afetará positivamente o futuro do nosso país”, disse Pedro André Martins, que fundou a empresa em 2016 com Hugo Cartaxeiro, ambos ex-colaboradores da Microsoft.

Na prática, foram: mais de 50 GB de dados, de 200 gráficos diferentes de análise, 100 páginas de exploração de informação, 400 indicadores de análise e 70 tabelas de informação.

Ler mais
Recomendadas

Allianz compra 75% da Galp Gás Natural Distribuição por 368 milhões

A operação ficou fechada por 368milhões de euros. A Galp Gás Natural Distribuição detém nove empresas regionais de distribuição de gás natural em Portugal.

Estudo de impacto ambiental dá ‘luz verde’ ao projeto de modernização do terminal de contentores de Alcântara

Em entrevista ao Jornal Económico, Diogo Marecos, administrador da Liscont, concessionária do terminal detida pelo grupo turco Yilport, garante que a empresa está pronta para avançar com este projeto no primeiro trimestre de 2021, cujo investimento, de 120 milhões de euros, será da sua exclusiva responsabilidade.

Liscont prossegue trabalho no porto de Lisboa apesar de greve de estivadores se manter desde 19 de fevereiro

Diogo Marecos reconhece, em declarações ao Jornal Económico, que a atividade da empresa foi afetada pela greve e pela fuga de armadores internacionais do porto de Lisboa, uma situação que o Grupo Yilport está tentar ultrapassar.
Comentários