Sinistralidade Rodoviária: Madeira regista 49 acidentes de viação e uma vítima mortal no espaço de uma semana

Ainda durante a semana em análise, a PSP realizou várias operações de fiscalização rodoviária que resultaram em seis detenções por condução sob o efeito de álcool e uma detenção na Calheta por condução sem habilitação legal.

O  Comando Regional da Polícia de Segurança Pública da Madeira informa que a Região Autónoma da Madeira registou 49 acidentes de viação entre 23 e 29  de julho.

O concelho do Funchal foi o que registou mais acidentes, contabilizando um total de 22. O  concelho de Santa Cruz teve sete, Ribeira Brava seis e Câmara de Lobos quatro. E os concelhos que menos acidentes registaram foram Santana e Porto Santo com um cada, Ponta do Sol teve dois e  Calheta e São Vicente tiveram três cada.

Estes acidentes resultaram em dois feridos graves e uma vítima mortal, no Funchal, e 24 feridos ligeiros. Destes, 13 registaram-se no Funchal, quatro em Santa Cruz, dois na Ponta do Sol e na Calheta, e um em Câmara de Lobos, Ribeira Brava e Porto Santo.

Quanto à tipologia dos acidentes de viação, 34 foram colisões, 13 foram despiste, um atropelamento e um de outro tipo.

Ainda durante a semana em análise, a PSP realizou várias operações de fiscalização rodoviária que resultaram em seis detenções por condução sob o efeito de álcool e uma detenção na Calheta por condução sem habilitação legal.

Das detenções por condução sob o efeito de álcool registaram-se quatro em Câmara de Lobos e duas na Ribeira Brava.

Recomendadas

Universidade da Madeira conquista segundo lugar em concurso nacional de empreendedorismo

O Palmito do Atlântico é um projeto voltado para a sustentabilidade e para a economia circular, alinhado com os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU.

Vulcão nas Canárias: Madeira disponibiliza ajuda no âmbito da Proteção Civil

Entre os recursos madeirenses colocados ao dispor das autoridades canarianas, está uma brigada para Busca e Resgate em Montanha, serviços de emergência médica pré-hospitalar altamente diferenciada (médicos, enfermeiros, TAS, TAT) e uma brigada helitransportada para multi mission.

Venda de smartphones sem carregador é correta à luz da lei?

Se o profissional não inclui um adaptador de corrente com o smartphone e que não informa, de forma cuidadosa, o consumidor – trata-se de uma omissão enganosa e, como tal, conduz ou é suscetível de conduzir o consumidor a tomar uma decisão de compra que não teria tomado de outro modo.
Comentários