“Sinto vergonha de ser português”. Pardal Henriques crítica serviços mínimos decretados pelo Governo

Vice-presidente do SNMMP mostrou-se esta quarta-feira contra os serviços mínimos decretados pelo Governo.

pedro-pardal-henriques
António Pedro Santos / Lusa

Pardal Henriques, vice-presidente do SNMMP, apelidou de “vergonhosa” a medida de serviços mínimos decretados esta quarta-feira pelo Governo relativamente à greve decretada pelos motoristas de matérias perigosas. “Hoje deveria ser decretado feriado nacional porque este dia desfaz tudo aquilo que se pensava ter conquistado com o 25 de Abril”, realçou Pardal Henriques.

O Governo decretou hoje serviços mínimos entre 50% e 100% para a greve dos motoristas de mercadorias que se inicia no dia 12 por tempo indeterminado, anunciou o ministro do Trabalho, Vieira da Silva.

Os serviços mínimos serão de 100% para abastecimento destinado à REPA – Rede de Emergência de Postos de Abastecimento, portos, aeroportos e aeródromos que sirvam de base a serviços prioritários.

O Governo decretou ainda serviços mínimos de 100% para abastecimento de combustíveis para instalações militares, serviços de proteção civil, bombeiros e forças de segurança.

Para abastecimento de combustíveis destinados a abastecimento dos transportes públicos foram decretados serviços mínimos de 75%.

Já nos postos de abastecimento para clientes finais, os serviços mínimos são de 50%.

Na greve iniciada em 15 de abril, o Governo começou por decretar serviços mínimos de 40% dos trabalhadores em funções, mas apenas para Lisboa e Porto, tendo depois alargado os serviços mínimos a todo o país.

Posteriormente, o Governo acabou por decretar uma requisição civil por incumprimento dos serviços mínimos e, depois, convidar as partes a sentarem-se à mesa de negociações.

O Governo fixou os serviços mínimos para a greve depois das propostas dos sindicatos e da Antram terem divergido entre os 25% e os 70%, bem como sobre se incluem trabalho suplementar e operações de cargas e descargas.

Ler mais
Relacionadas

Greve dos camionistas: providência cautelar vai dar entrada hoje

Depois da entrada da providência cautelar, existe um prazo, meramente indicativo, de dez dias, corridos, para o juiz se pronunciar.

Greve de motoristas: dos 50% aos 100%, conheça os serviços mínimos decretados pelo Governo

Os serviços mínimos serão de 100% para abastecimento destinado à REPA – Rede de Emergência de Postos de Abastecimento, portos, aeroportos e aeródromos que sirvam de base a serviços prioritários.

Greve de motoristas: abastecimento máximo limitado a 15 litros de combustível diários a partir de segunda-feira

Matos Fernandes realçou ainda que para a parcela de distribuição de combustíveis que não será assegurada pelos serviços mínimos hoje decretados (entre 50% e 25% consoante os setores), serão necessários 180 camionistas e que o Estado está a dar formação a 500 agentes das forças de segurança e das Forças Armadas para colmatar essas lacunas.
Recomendadas

Centros comerciais, retalho e restauração reforçam medidas para reabertura “com total confiança”

As três associações APED, APCC e AHRESP garantem que estão reunidas todas as condições para a salvaguarda da saúde pública e da segurança dos seus clientes, fornecedores e trabalhadores para a reabertura destes espaços comerciais prevista para 19 de abril próximo.

Mora em Lisboa? Pode fazer dois testes gratuitos à Covid-19 por mês

A Câmara Municipal de Lisboa alargou o plano de testagem massiva a todos os residentes na cidade. A partir de amanhã, os testes rápidos chegam a todos e não apenas a quem vive nas freguesias de maior risco. Há mais de 90 farmácias aderentes.

Espanha com 10.474 novos casos e a incidência supera os 200 casos

A Espanha registou 10.474 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando para 3.387.022 total de infetados até agora, num dia em que a incidência por 100.000 habitantes nas últimas duas semanas alcançou os 201 casos.
Comentários