Sistema informático do BPI certificado pelo CMMI Institute

O BPI vê assim reforçada a capacidade de resposta às exigências das entidades de Supervisão Bancária na área do risco tecnológico.

Rafael Marchante/Reuters

O BPI, através da sua Direção de Sistemas de Informação (DSI), acaba de alcançar a qualificação internacional “CMMI maturity level 3” para todos os projetos de Elevada Complexidade Técnica no desenvolvimento de aplicações informáticas. O BPI é a única instituição financeira em Portugal com esta qualificação. ·

A certificação foi atribuída pelo CMMI Institute, a referência mundial em melhoria organizacional e otimização do desenvolvimento de aplicações informáticas. É uma entidade independente que disponibiliza modelos de referência focados na melhoria organizacional e otimização do desenvolvimento de aplicações informáticas.

O Banco já detinha a qualificação “CMMI maturity level 2” desde 2018. O grau adicional de maturidade agora alcançado é justificado pelas melhorias realizadas nos últimos dois anos nos processos de certificação e gestão de risco de desenvolvimentos informáticos.

O BPI vê assim reforçada a capacidade de resposta às exigências das entidades de Supervisão Bancária na área do risco tecnológico.

“Trata-se de uma certificação atribuída pelo CMMI Institute, uma subsidiária do ISACA com génese na Universidade Carnegie Mellon (EUA), que atesta a qualidade, a gestão e a previsibilidade dos processos de desenvolvimento de aplicações tecnológicas”, diz o BPI em comunicado.

O banco liderado por João Pedro Oliveira e Costa diz que “com mais de 100 equipas a trabalhar em metodologias ágeis (SCRUM) na sua fábrica de desenvolvimento de software, o BPI tem também investido na certificação dos seus colaboradores. Neste momento, cerca de 95% dos colaboradores do Banco com a função de Scrum Masters e Product Owners são certificados”.

 

Ler mais
Recomendadas

UBS vai ser julgado na segunda-feira feira por fraude fiscal

O banco é suspeito de ter, entre 2004 e 2012, enviado ilegalmente vendedores França para convencer clientes a abrir contas não declaradas na Suíça.

Novo Banco confirma venda do portefólio de malparado ‘Projecto Wilkinson’

A entidade liderada por António Ramalho confirmou a venda da carteira por 216,3 milhões de euros em ativos ao fundo Davidson Kempner, que desta forma vão provocar um impacto “marginalmente positivo” nas contas.

CEO do Goldman Sachs anuncia investimento de 156 mil milhões de dólares na sustentabilidade

David Solomon, presidente e CEO da Goldman Sachs, anunciou o progresso anual rumo ao compromisso do banco norte-americano em termos de Sustainable Finance Commitment. O banco norte-americano quer que os EUA regressem ao Acordo de Paris.
Comentários