Jornal Económico teve melhor desempenho de sempre no primeiro trimestre de 2019

Site do Jornal Económico recebeu 12,5 milhões de visitas entre janeiro e março de 2019, o que representa uma subida de 20% face ao mesmo período do ano passado. Número de utilizadores do site cresceu 30% para cinco milhões e circulação da edição semanal superou pela primeira vez a fasquia dos dez mil exemplares. Obrigado pela sua preferência!

O site do Jornal Económico teve no primeiro trimestre o seu melhor desempenho de sempre, com um total de 12,5 milhões de visitas e cinco milhões de utilizadores, de acordo com os dados do Netscope, da Marktest. Estes números representam um crescimento de 20% nas visitas e de 31% no número de utilizadores, em relação ao primeiro trimestre do ano passado.

Em termos médios, o site do Jornal Económico teve 4,1 milhões de visitas e cerca de 2 milhões de utilizadores, em cada um dos primeiros três meses de 2019. Em comparação com o período homólogo de 2018, o tempo médio de permanência no site do Jornal Económico mais do que duplicou, passando de 3,18 minutos há um ano para uma média de 7 minutos, no primeiro trimestre de 2019.

Este crescimento reflete a aposta contínua que temos feito em novos conteúdos para melhor servirmos os nossos leitores, com projetos como o Economize, o JE TV e o Prisma. Ao mesmo tempo, reforçámos os conteúdos premium, com o JE Leitor, bem como a nossa oferta de newsletters, que todos os dias chegam a mais de 80 mil subscritores.

Os valores registados pelo site do Jornal Económico comparam com os 15 milhões de visitas registados pelo site do “Negócios” e com os 7,1 milhões do “Dinheiro Vivo”, o que significa que o JE mantém-se na segunda posição no ranking de visitas dos sites de informação económica portugueses, à semelhança do que tem sucedido nos últimos dois anos. Porém, tem vindo a ganhar terreno de forma gradual e sustentada, reduzindo a diferença face ao líder do segmento.

Ao contrário dos concorrentes “Jornal de Negócios” e “Dinheiro Vivo”, que divulgaram os seus resultados trimestrais na semana passada, o Jornal Económico não faz parte do painel NetAudience, da Marktest, que mede a audiência dos sites de informação. No entanto, somos auditados pelo Netscope, também da Marktest. E os dados de visitas e de visitantes do Netscope são utilizados no NetAudience, para calcular a audiência dos sites.

Edição semanal supera fasquia dos 10 mil exemplares

O crescimento da edição online – de acesso gratuito –  encontra paralelo no forte aumento dos leitores dos conteúdos pagos do Jornal Económico. Entre janeiro e dezembro de 2018, a circulação total (papel e digital) da edição semanal do JE cresceu 65%, para uma média de sete mil exemplares por edição, segundo os dados divulgados pela Associação Portuguesa de Controlo de Tiragem e Circulação (APCT). Esta tendência de forte crescimento, em contraciclo com a generalidade da imprensa, manteve-se nos primeiros meses de 2019, com a circulação total a superar, pela primeira vez, a fasquia dos dez mil exemplares. Estes dados serão divulgados em breve.

O forte desempenho do JE nas diferentes plataformas em que estamos presentes não seria possível sem o apoio dos nossos leitores, parceiros (com destaque para o portal SAPO) e anunciantes. O Jornal Económico agradece a confiança e o apoio que tem recebido e renova o compromisso de os continuar a servir com jornalismo isento, rigoroso e de qualidade.

 

Ler mais
Relacionadas

Site do Jornal Económico atinge 4,2 milhões de visitas em janeiro

Em janeiro, o site do Jornal Económico teve o seu melhor resultado dos últimos 12 meses, com um total de 4,2 milhões de visitas e 1,8 milhões de utilizadores. Obrigado pela sua preferência!

Circulação do Jornal Económico cresceu 65% em 2018

O Jornal Económico registou a maior subida na circulação em papel e digital na imprensa portuguesa, ao longo de 2018, contrariando a tendência de descida da maior parte das publicações. Muito obrigado pela sua confiança e preferência.
Recomendadas

ASAE apanha talhos a vender carne falsificada e estragada

As principais infrações registadas foram o abate clandestino, a venda de produtos alimentares estragados ou falsificados e a fraude sobre mercadorias, tanto em talhos de rua como em superfícies comerciais.

Medina diz que verdadeiro debate é “se vamos ou não ser capazes de concertar a União Económica e Monetária”

Fernando Medina referiu este sábado que a questão central na Europa é que “o regime monetário não esta resolvido mais de dez anos passados sobre a crise”.

Caixa Geral concedeu crédito de 125 milhões a Isabel dos Santos sem avaliar situação financeira

Caixa concedeu crédito sem avaliar a situação financeira da empresário. Crédito foi criticado pelo Banco de Portugal. Banco era liderado por Fernando Faria de Oliveira em 2009. Fonte próxima da empresária disse que o “crédito está em dia e grande parte já foi amortizado”.
Comentários