PremiumNuno Vieira: “Smart contracts trazem inúmeras oportunidades”

Conferência promovida pela Antas da Cunha ECIJA e Jornal Económico, no dia 9, vai incluir a primeira demonstração pública em Portugal da execução de uma hipoteca com esta tecnologia, sem necessidade de recorrer a registos nas conservatórias.

A Antas da Cunha ECIJA e o Jornal Económico promovem no próximo dia 9 de dezembro uma conferência online sobre os chamados contratos inteligentes (smart contracts). O debate, que será transmitido a partir das 15h00 na plataforma JE TV – através do site e das redes sociais do Jornal Económico – contará com as participações de Paulo Cardoso Amaral, professor da Universidade Católica, Cláudia Borges, project manager da Moneris e Elisete Barbosa, Legal Officer do International Iberian Nanotechnology Laboratory, para além de Fernando Antas da Cunha e Nuno Vieira da Silva, managing partner e partner do escritório, respetivamente.

Os smart contracts podem ser definidos como protocolos de computador autoexecutáveis, que dispensam a existência de intermediários, ou qualquer envolvimento humano direto, a partir do momento em que o contrato é assinado. A título de exemplo, se um contrato inteligente prevê que em caso de incumprimento haverá a execução de uma garantia, esta será automaticamente executada. Ao converter a vontade das partes num algoritmo , os smart contracts garantem a confiança contratual sem necessidade de intermediários, reduzem os custos das transação e diminuem os riscos de litigância.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumOrdem recebe queixas de inscrições indevidas na Segurança Social

A sustentabilidade da Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores está em debate na AR. Jovens defendem que firmas devem comparticipar.

Brexit & RGPD: sinais de um mundo interdependente

A importância e complexidade regulatória inerentes à Proteção de Dados é, desde logo, fundada na necessidade de troca de informações com o Reino Unido para fins de segurança e prevenção de ameaças do foro criminal.
ana_catarina_mendes_ps

PS propõe comissão para avaliar integração da Caixa de Previdência dos Advogados na Segurança Social

O grupo parlamentar socialista considera que o atual sistema de previdência dos advogados e solicitadores é “desajustado” e não tem “nenhum cariz assistencialista”, e deve refletir-se sobre a sua integração na Segurança Social.
Comentários