Smart Sightseeing. Um autocarro com vista panorâmica sobre Lisboa mas em forma de vídeo

O minibus destaca-se por ser totalmente envidraçado e à frente ter um grande ecrã. Este transporte, que permite ter uma visão 360º de Lisboa, surge para responder aos desafios que os tradicionais autocarros panorâmicos para turistas apresentam.

Circula por Lisboa um autocarro que promete oferecer uma nova experiência aos turistas e aos residentes mais curiosos. Tipicamente, estes passeiam pelos principais pontos turísticos da capital, permitindo ficar com uma ideia geral do que é Lisboa. Mas se estiver a chover, ou muito calor, esta pode não ser a opção mais confortável. Foi com isto em mente que Paulo Parreira decidiu criar a Smart Sightseeing.

O minibus desta startup, que começou a circular no final de julho, tem capacidade para 18 pessoas e destaca-se por ser totalmente envidraçado e à frente ter um grande ecrã. Este, além de mostrar o percurso, uma vez que está ligado a uma câmara que filma o que se passa à frente, permite que Maria Lisboa – fadista e guia – vá contando um pouco da história da capital, os costumes e as singularidades dos bairros lisboetas e dos seus habitantes.

“A ideia surgiu quando constatámos que esses sightseeings normais tinham um conjunto de questões que podiam ser melhoradas. Em primeiro lugar, só mostram a cidade, não a explicam. A experiência seria mais interessante se, em vez de apenas mostrar, se contasse a história. O segundo aspeto é que aqueles autocarros são muito desconfortáveis quando o tempo não está bom, quando está frio ou muito calor, o que cria limitações do ponto de vista da exploração. E por último, não há visitas à noite. Achámos que, se fosse possível arranjar um autocarro fechado para poder operar 360 dias, mas panorâmico, conseguia resolver-se a questão do conforto e a da visibilidade”, afirma Paulo Parreira, responsável por esta empresa de inovação turística nascida na Startup Lisboa.

Os mini-filmes, que contam as histórias dos locais, são exibidos antes da passagem por cada um dos pontos. Assim, quando lá chegar, já está inteirado. No seu (confortável) lugar há ainda um tablet, onde pode ligar o auscultador (só um, para um dos seus ouvidos) e escolher uma das línguas disponíveis para ouvir uma divertida guia que também aparece nos filmes que são exibidos, com recurso a tecnologia GPS.

Todos os vídeos que passam estão dobrados em inglês, francês, espanhol, alemão e chinês (mandarim). E há alguns de reserva, para o caso de haver um acidente numa das ruas onde o autocarro esteja a passar ou um engarrafamento que atrase a viagem: nesse caso, ajudam-se os turistas a passar o tempo de uma forma interessante com, por exemplo, um vídeo que conta a história do pastel de nata.

“O passeios panorâmicos são um sucesso em todo o mundo, mas sempre lhes encontrei três limitações: mostram a cidade, mas não a explicam; são desconfortáveis sempre que chove, faz frio ou há muito calor; e perdem interesse quando cai a noite”, explica o empreendedor. “Concebemos o nosso autocarro para ultrapassa essas limitações e, por isso, chamamos-lhe ‘Smart Sightseeing’: fazêmo-lo para sublinhar que é uma versão 2.0 dos tradicionais sightseeing, a qual explica o melhor da cidade numa linguagem divertida, opera à noite e tem sempre o maior conforto, independentemente do estado do tempo”.

Para já, a empresa tem apenas um destes minibuses. A expectativa era ter dois, tendo sido adquiridos os dois chassis-cabine, mas a concretização do segundo “está dependente da avaliação do primeiro. E da aprendizagem”.

Ler mais
Recomendadas

ONU: Queda nas emissões de gases com efeito estufa em 2020 não está a reverter alterações climáticas

Apesar da ligeira diminuição no ritmo a que os gases com efeito estufa foram emitidos em 2020, fruto das restrições que visam combater a pandemia, a Organização Meteorológica Mundial avisa que este facto apenas desacelerará o ritmo das alterações climáticas, sendo profundamente insuficiente para compensar as décadas de emissões que ainda hoje persistem na atmosfera.

Comissão Europeia: “Experiência de Portugal vai ser valiosa para nós. Vai liderar a transição na Europa”

O comissário europeu do Ambiente, Oceanos e Pescas, Virginijus Sinkevičius considera que dada a experiência de Portugal em matérias ambientais, a pasta da presidência do Conselho da UE para o primeiro semestre de 2021 vai ficar em boas mãos. “Estou muito otimista em relação à presidência de Portugal no próximo ano”, afirmou.

Termoelétrica de Sines: Matos Fernandes garante formação a 400 trabalhadores

A menos de dois meses para o encerramento da central termoelétrica de Sines, o ministro do Ambiente e da Ação Climática frisou que os cerca de 400 trabalhadores desta central serão alvos de formação para que possam integrar nos projetos de energia solar que estão a ser desenvolvidos.
Comentários