Só os holandeses nos batem. Portugal é o segundo país europeu mais hospitaleiro com os turistas

Se por um lado, a Holanda, Portugal e a Espanha se destacam pela positiva e ocupam as três primeiras posições no ranking da hospitalidade, no extremo oposto encontramos a França, a Hungria e a Suíça a liderar os menos acolhedores.

Cristina Bernardo

Atualmente, o nosso país é apontado por cerca de 70% dos turistas europeus como um dos países da Europa onde a população é das mais hospitaleiras da Europa, segundo apurou a mais recente sondagem realizada pelo motor de busca de voos e hotéis Jetcost.

Aos entrevistados foi pedida a sua opinião sobre os habitantes do país onde estiveram de férias, detalhando se foram agradáveis, desagradáveis ou nenhuma das duas. Com base nas suas respostas, foi então possível elaborar um ranking dos mais agradáveis. A liderar surge a Holanda (73%) e o pódio fica completo com Portugal (70%) e Espanha (69%). Seguem-se a Itália (67%), Suécia (64%), República da Irlanda (62%) e Grécia (56%).

Quanto ao lugar de destaque obtido por Portugal nesta análise, um porta-voz da Jetcost, em comunicado, salienta que “não surpreende”, considerando que o “seu senso de humor, o procurar ser amáveis e a sua proximidade, são razões conhecidas de muitos”. Em seu entender, é igualmente interessante verificar que “os portugueses gostam de fazer amizade com estrangeiros quando viajam para outro país, embora prefiram juntar-se aos seus compatriotas que vivam no mesmo”.

Ao tentar ser um pouco mais específico, todos os entrevistados que responderam que Portugal lhes tinha parecido um país hospitaleiro foram questionados sobre as características dos habitantes que os tinham levado a pensar assim. As repostas obtidas foram: são muito hospitaleiros e amáveis (48%); tentaram sempre conversar comigo (36%); tentaram ensinar-me os próprios costumes (28%); sempre tinham um sorriso e brincavam a todo o instante (24%); e quiseram que provasse os seus pratos típicos (15%).

Foi ainda possível realizar um ranking no sentido oposto, ou seja, dos países mais desagradáveis ou hostis para os turistas europeus. Neste caso, lidera a França (47%), seguindo-se a Hungria (43%) e a Suíça (37%). Apesar de fora do pódio, esta lista contempla ainda a Finlândia (35%), a Alemanha (31%), Roménia (30%) e Rússia (28%).

O estudo apurou ainda que as principais razões pelas quais os turistas pensaram que os habitantes locais não eram hospitaleiros foram “não tentaram falar comigo” (28%) ou não tentaram entender-me (17%).

Quanto aos turistas portugueses na Europa (dos 500 entrevistados), 66% disseram que quando viajam para estrangeiro de férias gostam de fazer amizade com os habitantes locais, embora a grande maioria (72%) afirme que prefere falar antes com um compatriota do que com um nativo. Apenas 16% dos entrevistados disseram preferir não se juntar a outros portugueses.

Quanto a entraves, o destaque vai para do domínio de idiomas, pois apenas 30% dos portugueses se esforçaram para falar com os nativos (empregados em geral no comércio, no hotel, nos meios de transportes, entre outros) no seu idioma nativo.

Ler mais
Recomendadas

Diretor executivo de tecnologia da Microsoft escolhido por Siza Vieira para a Transição Digital

O gestor da Microsoft Portugal foi o nome escolhido pelo ministro Pedro Siza Vieira para ocupar a nova secretaria de Estado, que terá como função dar à tecnologia um papel ativo na simplificação de processos.

Cerca de 60 pessoas em protesto contra o fecho dos CTT no Monte de Caparica

Cerca de 60 pessoas protestaram hoje contra o fecho do único posto de correios no Monte de Caparica, em Almada, no distrito de Setúbal, afirmando que vão “lutar até ao fim” para que permaneça na freguesia.

A senhora que se segue no Turismo é Rita Marques, atual CEO da Portugal Ventures

Rita Marques lidera a Portugal Ventures, entidade que resultou da fusão de três Sociedades de Capital de Risco em Portugal – AICEP Capital, InovCapital e Turismo Capital.
Comentários