Sob promessa de baixar taxa de juro para 0%, Trump nomeia Judy Shelton para a Fed

A assessora económica Donald Trump durante a sua campanha às eleições presidenciais norte-americanas de 2016, crítica deste banco central, foi nomeada pelo próprio para integrar o conselho da Reserva Federal.

A atual diretora executiva dos Estados Unidos da América no Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento (BERD) vai ser proposta pelo presidente Donald Trump para fazer parte do conselho da Reserva Federal (Fed).

Judy Shelton, que foi assessora económica de Donald Trump durante a sua campanha às eleições presidenciais norte-americanas de 2016, ficou conhecida pelas suas críticas à atual condução da política monetária do banco central dos EUA.

A “CNBC” relembrou uma entrevista feita à líder do BERD, em que esta referiu que se fosse nomeada para o conselho da Reserva Federal baixaria a taxa de juro diretora para 0% em dois anos.

Na rede social Twitter, Trump comunicou a nomeação, salientando o percurso da candidata.

Donald Trump acusou no mês passado a Reserva Federal de minar os esforços do governo norte-americano para impulsionar o crescimento económico, e manifestou o seu desagrado depois da Fed ter anunciado que iria manter a taxa de juro de referência (federal funds rate) inalterada, em linha com as expetativas dos analistas.

A taxa de juro diretora vai manter-se fixada num intervalo entre 2,25% e 2,50%. Assim, a Reserva Federal anunciou que vai combater os crescentes riscos económicos globais e domésticos, ao avaliar as crescentes tensões comerciais e a inflação fraca.

A instituição liderada por Jerome Powell sinalizou, no entanto, que poderá em breve decidir um corte na taxa de juro, ao remover do comunicado a palavra “paciente”, substituindo-a por “agir apropriadamente” face a incertezas no outlook económico e às pressões sobre a inflação. A última vez que o FOMC implementou um aumento na federal funds rate foi em dezembro do ano passado.

Ler mais

Recomendadas

Wall Street com ganhos superiores a 3% impulsionada pelas tecnológicas

O mercado reagiu em alta às recentes políticas de mitigação ao contágio do novo coronavírus anunciadas pela administração Trump, com os investidores a aproveitaram para comprar títulos a ‘desconto’ principalmente no setor da tecnologia.

CMVM prorroga até 31 de maio deveres de reporte dos peritos avaliadores de imóveis

A Comissão de Mercado de Valores Mobiliários informou que foi prorrogado até dia 31 de maio de 2020 o prazo de reporte de informação, previsto na lei, para os peritos de avaliação de imóveis. Esse prazo é sucessivamente prorrogado por um mês até ao encerramento do Estado de Emergência.

PSI-20 fecha em alta impulsionado pela subida de mais de 11% dos CTT

Ao contrário dos mercados de ações, os futuros de petróleo estão em derrocada. O Brent em Londres tomba -9,71% para 22,51 dólares. Ao passo que em Nova Iorque no NYMEX o petróleo transaciona nesta altua a cair -5,76% para 20,26 dólares o barril. Juros soberanos também agravam nos países do sul. Euro cai face ao dólar.
Comentários