Sobrevalorização do imobiliário é “risco relevante” para a banca nacional, diz supervisor

O Banco de Portugal identifica uma tendência de “sobrevalorização no mercado imobiliário” desde o início de 2018, não se perspetivando, por enquanto, uma descida dos preços das casas. A sobrevalorização dos preços das casas é heterogénea a nível regional e deve-se sobretudo ao turismo e aos investidores estrangeiros.

Lisboa, Portugal: 2.0 dólares

A sobrevalorização dos preços das casas é um risco para a estabilidade financeira do país, segundo o Banco de Portugal (BdP). A manutenção das taxas de juro em níveis baixos empurra os investidores na busca de rendibilidade para o imobiliário que, no nosso país, tem sido impulsionado sobretudo pelo turismo e pelos não-residentes, colocando assim um risco aos bancos expostos a este tipo de ativos.

“Dada a materialidade da exposição dos bancos (…) a ativos imobiliários ou que beneficiem de garantia dessa natureza, a possível reversão dos prémios de risco e uma redução no valor destes ativos permanece como um risco relevante para a estabilidade financeira”, frisou o supervisor no Relatório de Estabilidade Financeira (REF), divulgado esta quarta-feira.

O BdP identificou uma tendência de “sobrevalorização no mercado imobiliário” desde o início de 2018, não se perspetivando, por enquanto, uma descida dos preços das casas. A sobrevalorização dos preços das casas é heterogénea a nível regional.

“Esta evolução tem refletido a forte dinâmica do turismo e do investimento por não residentes”, explicou o supervisor. “Tal facto faz aumentar a sensibilidade do mercado à atuação de não residentes, em particular numa situação de aumento dos prémios de risco a nível internacional”, adiantou no REF.

No entanto, o BdP concluiu que atualmente a banca está a conceder novos empréstimos de crédito à habitação a famílias com um menor grau de risco numa altura em que há menos novas operações de crédito à habitação e, no segundo trimestre de 2019, se registou uma diminuição do número de transações de compra e venda de imóveis nas principais regiões do país.

Relacionadas

BdP alerta que manutenção das taxas de juro muito baixas podem prejudicar a concessão de crédito

Segundo o Banco de Portugal, “a redução das taxas de juro de médio e longo prazo sinaliza que a Euribor só deverá retomar valores positivos num horizonte consideravelmente mais longo do que o antecipado” anteriormente.
Recomendadas

PremiumVenda do BNI Europa aguarda fecho das contas de 2019

Negócio deverá ficar fechado no primeiro trimestre de 2020. O banco apesenta contas anuais em março.

PremiumBCP quer reduzir malparado para 3 mil milhões em 2021

O BCP lucrou 302 milhões em 2019, à custa de mais-valias em dívida portuguesa. A redução do 1,3 mil milhões de NPE foi a boa notícia.

Banco de Portugal quer rever regras sobre governo e controlo interno de bancos

O supervisor vai rever as regras de governo e sistemas de controlo interno nos bancos, incluindo práticas remuneratórias, tendo até 23 de março em consulta pública dois projetos regulamentares.
Comentários