“#somos táxis”: a manifestação em imagens

Veja as imagens da manifestação em Lisboa, Porto e Faro contra a entrada em vigor da legislação sobre as plataformas que agregam motoristas em carros descaracterizados é o quarto grande protesto de taxistas nos últimos três anos.

Relacionadas

Protesto dos taxistas: ”Não sairemos daqui enquanto não houver resposta do governo”

O eixo central da Avenida da Liberdade, em Lisboa, que esteve cortado devido à concentração de taxistas em protesto contra as plataformas de transporte em veículos descaracterizados, foi reaberto hoje às 7:30 pela PSP.

PS defende “lei Uber” enquanto BE e PCP avançam com propostas de revogação

PSD vai chamar o ministro do Ambiente ao Parlamento e o CDS-PP manifestou disponibilidade para rever a lei, mas não vão dar seguimento à reivindicação dos taxistas (tal como o PS) no sentido de solicitar ao TC a fiscalização sucessiva da constitucionalidade do diploma.

Táxis: Profissionais preparam-se para continuar protesto por tempo indeterminado

Os taxistas têm estado concentrados em Lisboa, Porto e Faro, com as viaturas paradas nas ruas, para tentar impedir a entrada em vigor, em 01 de novembro, da lei que regula as plataformas eletrónicas de transporte de passageiros em veículos descaracterizados de transporte que operam em Portugal – Uber, Taxify, Cabify e Chauffeur Privé.
Recomendadas

Marta Temido: Parecer da PGR diz que greve dos enfermeiros é “ilícita”

Ministério da Saúde reagiu em conferência de imprensa ao parecer do Conselho Consultivo da Procuradoria Geral da República (PGR), pedido em janeiro, que diz que greve cirúrgica é ilegal.

EconPol diz que União Bancária não protege bancos europeus das repercussões de uma crise orçamental italiana

Os planos orçamentais do novo governo italiano têm o potencial de desencadear uma nova crise financeira, diz o analista da EconPol Europe, Timo Wollmershäuser.

Carlos Moedas defende critérios para o investimento estrangeiro na Europa

Carlos Moedas destaca que o investimento chinês na Europa cresceu 600% entre 1995 e 2015, “com claras implicações na distribuição de poder a nível internacional”.
Comentários