Sonae usa estagiários a 150 euros/mês para substituir trabalhadores, acusa sindicato

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) denuncia que o grupo Sonae recorre a um programa do IEFP para utilizar estagiários do curso para técnico de logística, a troco de 150 euros mensais, mais a despesa com transportes.

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) denuncia a existência de falsos estágios no armazém de Telheiras do grupo Sonae. Segundo o CESP, empresa recorre a formandos do o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) para suprir necessidades permanentes.

“Jovens estagiários estão a ser utilizados para substituir trabalhadores em postos de trabalho permanentes no armazém da Sonae, em Telheiras. Tudo isto está a ser feito ao abrigo de um programa entre a Sonae o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), através de cursos para Técnico de Logística com equivalência ao nível secundário”, revela o CESP em comunicado, publicado no seu site.

Segundo este sindicato, a cada estagiário oferece, a empresa oferece por um mês de trabalho efectivo 150 euros mais  o valor do passe. “Um grupo como a Sonae, que fala tanto em responsabilidade social, quando pretende estágios assim, está a aproveitar mão-de-obra barata. Deveriam estar a ser promovidos contratos de trabalho permanentes”, realça em comunicado.

Para o CESP trata-se de uma “situação perversa”, acrescentando que, neste caso, por se tratar de falsos estágios, se existe a necessidade de mais trabalhadores nos armazéns da Sonae deviam ser contratados mais trabalhadores.

“A Lei prevê contratos de trabalho para isso, é absolutamente inaceitável que se utilizem estágios para recrutar jovens para fazer estas tarefas”, frisa o sindicato do sector, dando ainda conta de que “um estagiário não pode desempenhar tarefas do funcionamento normal da empresa”.

O CESP defende ainda que é preciso perceber o enquadramento destes estágios junto da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) e do IEFP.

Ler mais

Recomendadas

Azul votou favoravelmente a saída da TAP. Estado tem luz verde para a reestruturação

“Neeleman tinha a TAP na mão, com 84,2% dos direitos económicos”, recorda um ex-quadro da TAP. Mas a hipótese da nacionalização da companhia acelerou a saída dos brasileiros da Azul, que votaram favoravelmente o “adeus” à TAP esta segunda-feira, 10 de agosto, no Estado de São Paulo.

Gaia aprova intervenções em empreendimentos sociais no valor de 20 milhões de euros

“Na próxima semana já começam obras em vários”, disse esta tarde, em reunião camarária, o presidente da câmara de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, sobre um investimento que resulta de candidatura Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU).

Empresas com novo apoio à retoma recebem ajuda para subsídio de Natal em 2021

A jurista Alexandra Marcelino explicou que o trabalhador com redução de horário no âmbito do novo apoio extraordinário à retoma progressiva da atividade “tem direito a subsídio de Natal por inteiro”.
Comentários