Sondagem põe PS nos 40,4% e todos os outros partidos em queda menos Chega e Iniciativa Liberal

Marques Mendes revelou resultados da sondagem da Aximage para o “Jornal de Notícias”. Resultados colocariam PS na zona da maioria absoluta e mostram CDS reduzido a metade do resultado que levou à demissão de Assunção Cristas.

antonio_costa_legislativas_altis_2
Mário Cruz/Lusa

Uma sondagem da Aximage para o “Jornal de Notícias”, cujos resultados foram avançados por Marques Mendes no seu espaço de comentário no “Jornal da Noite da SIC”, mostra um reforço do PS, que obtém 40,4% de intenções de voto, mais 4,1 pontos percentuais do que conseguiu nas legislativas de 2019, nas quais ficou a apenas oito deputados da maioria absoluta.

As intenções de voto reveladas por Marques Mendes mostram que todos os outros partidos sofrem quebras em relação às legislativas à excepção do Chega, que surge com 5,2%, e da Iniciativa Liberal, que tem agora 2,1% de intenção de voto. Ambos tiveram 1,3% em 2019, o que só chegou para eleger os respetivos cabeças de lista por Lisboa: André Ventura e João Cotrim Figueiredo.

Em segundo lugar na sondagem da Aximage vem o PSD, com 26,7% (um ponto percentual abaixo do resultado que Rui Rio obteve nas legislativas), seguindo-se o Bloco de Esquerda, com 8,5% (também um ponto percentual abaixo), a CDU, com 6,0% (retirando três décimas ao seu pior resultado em legislativas).

Piores são os recuos do PAN – Pessoas, Animais, Natureza, que aparece na sondagem da Aximage com 2,6% (menos 0,7 pontos percentuais), e sobretudo do CDS, que obtém apenas 2,1% de intenções de voto, metade do resultado eleitoral que levou à demissão de Assunção Cristas. E que coloca os centristas como sétima força política, empatados com a Iniciativa Liberal.

Recomendadas
Aviso das secções de voto para as presidenciais de 2021

Projeções apontam para abstenção entre 50% e 60%

Valor da abstenção deverá superar o registado há cinco anos, mas não atingirá os valores que eram temidos devido ao receio de ir votar na pior fase da pandemia de Covid-19.

Candidatos presidenciais madeirenses têm conseguido segundo lugar na região autónoma

Edgar Silva e José Manuel Coelho conquistaram grande parte do eleitorado madeirense nas duas últimas eleições presidenciais. Desta vez não há nenhum candidato que tenha uma ligação à região autónoma.

Cavaco Silva apela ao voto para que “as previsões da abstenção não se concretizem”

Após exercer o direito de voto, o antigo Presidente da República sublinhou que votar é um “dever cívico” e elogiou os portugueses que, “num tempo em que a dor e o sofrimento atingem muitos milhares de portugueses”, foram às urnas.
Comentários