S&P 500 fecha em novos máximos enquanto tecnológicas animaram o Nasdaq

O S&P 500 voltou a renovar máximos históricos, depois de já o ter feito na sessão anterior. A subida das cotadas tecnológicas face à ligeira quebra nas taxas de juro soberanas impulsionou o Nasdaq a acrescentar mais de 145 pontos.

Wall Street fechou esta quinta-feira no verde com o S&P a bater máximos históricos durante a sessão e no fecho, mantendo a trajetória registada na sessão de quarta-feira.

O Dow Jones acrescentou 45 pontos, ou 0,13%, chegando aos 33.490,71, enquanto que o Nasdaq disparou acima de 1%, somando mais 140 pontos até aos 13.829,31. O S&P 500 renovou máximos históricos, dando continuidade ao rally de ontem, subindo 0,45% até chegar aos 4.098,13 pontos.

As cotadas tecnológicas voltaram a ser determinantes na boa prestação das bolsas americanas, com o Nasdaq a subir impulsionado pelas principais empresas do sector. As chamadas ‘Big 5’, compostas por Amazon, Apple, Alphabet, Facebook e Microsoft, registaram ganhos à exceção da rede social, fechando entre os 0,46% da Alphabet, empresa-mãe da Google, e os 1,96% da Apple.

Também a Tesla e Netflix registaram ganhos, numa altura em que os investidores se voltam a virar para o sector da tecnologia perante a queda nas taxas de juro dos títulos do Tesouro.

Por outro lado, o inesperado aumento dos números semanais do desemprego parece não ter afetado os mercados, especialmente face às declarações do presidente da Reserva Federal, Jerome Powell, de que a inflação não preocupa o órgão central financeiro dos EUA. Ainda assim, a Fed continua a reconhecer o risco de desemprego na economia, apontando para uma recuperação “incompleta e desigual”, como referiu o presidente na discussão promovida pelo Fundo Monetário Internacional.

Já as cotadas financeiras acabaram por ser as maiores penalizadas da sessão, dada a variação nas taxas de juro, que afeta os rendimentos do sector bancário.

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Galp e grupo EDP puxam pela praça portuguesa

Entre as principais congéneres europeias, o alemão DAX sobe 0,13%, o britânico FTSE cresce 0,39%, o francês CAC 40 avança 0,47% e o espanhol IBEX soma 0,94%.

Lucro da Galp terá disparado 62% no primeiro trimestre com subida do preço do petróleo

A subida para 47 milhões de euros terá sido impulsionada pela unidade exploração e produção de petróleo e gás natural, que segundo o consenso das estimativas de 23 analistas divulgado pela empresa terá registado um aumento homólogo de 46,5% no EBITDA – resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização – para 419 milhões de euros.

Tesla e Johnson & Johnson a contrariam tendência numa Wall Street vermelha

No fecho da sessão, o S&P 500 desceu 0,72%, para 4.133,50 pontos, o tecnológico Nasdaq desvalorizou 0,92% para 13.786,27 pontos, e o industrial Dow Jones depreciou 0,75%, para 33.821,30 pontos.
Comentários